Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Olimpíadas de Tóquio: Conheça os adversários do Brasil no futebol masculino

No Japão, a seleção brasileira sub-23 busca sua segunda medalha de ouro olímpica

Wilson Pimentel
Jornalista esportivo desde 1998. Cobriu os principais eventos esportivos da última década. Passou pelas redações do SBT, Record TV, CNT, Esporte Interativo, Rádio Tupi, Rádio Brasil e Rádio Manchete. É correspondente de veículos de comunicação da Colômbia, Croácia, Paraguai e Portugal. Está no Torcedores.com desde 2019.

Crédito: Lucas Figueiredo/ CBF

Antes de mais nada, o Brasil vai disputar as Olimpíadas de Tóquio 2020 com o objetivo de conquistar o Bicampeonato. Após vencer o ouro para o país na Rio 2016, a seleção brasileira vai entrar em campo sem a pressão de nunca ter subido no lugar mais alto do pódio do torneio.

A Seleção Brasileira sub-23 disputou 22 partidas durante todo o ciclo de preparação olímpico. Nesse ínterim, foram 15 vitórias, três empates e quatro derrotas. Além disso, o time marcou 53 gols e sofreu 19.

Nestas partidas, o técnico André Jardine observou e analisou o desempenho quase 80 jogadores. O artilheiro é o atacante Matheus Cunha, do Hertha Berlin, da Alemanha. Foram 16 gols marcados com a camisa amarelinha. Ou seja, foi responsável por 33,3% dos gols do time tupiniquim.

Contudo, outros jogadores como Daniel Alves, lateral do São Paulo, Guilherme Arana, lateral do Atlético-MG, Bruno Guimarães, volante do Lyon, também estão com moral junto à comissão técnica.

Atual campeão olímpico, o Brasil é o cabeça de chave no Grupo D. A sua jornada começa em Yokohama, contra a Alemanha, no dia 22 de julho. Três dias depois, a seleção brasileira enfrenta a Costa do Marfim, na mesma cidade. E no dia 28 pega a Arábia Saudita, em Saitama.

E os nossos adversários? 

Alemanha

Protagonista da vergonhosa goleada de 7 a 1, que marcou a eliminação do Brasil na Copa do Mundo de 2014, a Alemanha é detentora de apenas uma medalha de ouro. Em 1976, a equipe representada na época, pela Alemanha Oriental.

As equipes, inclusive, fizeram a final do torneio de futebol masculino na Rio 2016. Após empate em 1 a 1 no tempo normal e na prorrogação, os alemães foram derrotas por 5 a 4 nos pênaltis no Maracanã.

Agora, o time comandado por Stefan Kuntz promete dar o troco com uma equipe mais rodada após conquistar a Eurocopa sub-21. O atacante Lukas Nmecha, autor do gol do título, é o principal nome da equipe germânica que vai brotar em campo nas Olimpíadas de Tóquio.

Time base (4-2-3-1): Finn Dahmen (Mainz); Ridle Baku (Wolfsburg), Nico Schlotterbeck (Union Berlin), Amos Pieper (Arminia Bielefeld) e David Raum (Hoffenheim); Arne Maier (Arminia Bielefeld), Niklas Dorsch (Gent), Florian Wirtz (Bayer Levekusen), Salih Ozacan (Colônia) e Mergim Berisha (Red Bull Salzburg); Lukas Nmecha (Anderlecht).

Costa do Marfim

Após participar de três edições de Copa do Mundo (2006, 2010 e 2014), a Costa do Marfim chega a Olímpiada de Tóquio disposta a ser a surpresa do Grupo D. Afinal, a equipe deseja repetir o feito de Nigéria e Camarões que faturaram o ouro em 1996 e 2000, respectivamente.

A equipe comandada pelo técnico Soualiho Haidara tem uma base muito forte. Afinal, os jogadores já atuam nas principais ligas europeias como França, Inglaterra, Itália e Portugal. E também em clubes como Amiens, Chelsea, Fiorenrina e Estoril Praia.

Time base (4-3-3): Nicolas Tié (Chelsea); Zié Ouattara (Vitória de Guimarães), Ismael Diallo (Ajaccio), Yves Dabila (Mouscron) e Silas Gnaka (Eupen); Hamed Trorè (Sassuolo), Lazare Amani (Estoril Praia) e Ibrahim Sangaré (PSV); Christian Kouamé (Fiorentina), Anderson Niangbo (Gent) e Cheick Timité (Amiens).

Arábia Saudita

A Arábia Saudita participou oito vezes dos Jogos Olímpicos, porém, sem nenhum protagonismo no quadro geral de medalhas. No futebol masculino, só para exemplificar, a equipe não conseguiu classificação para Londres 2012 e Rio 2016. É, portanto, o azarão do grupo D nas Olimpíadas de Tóquio.

Aliás, o maior feito do futebol saudita aconteceu no longínquo ano de 1994. Na ocasião, a equipe fez surpreendente campanha na sua primeira participação em uma Copa do Mundo. Nos Estados Unidos, o time chegou às oitavas de final.

Contudo, a missão em Tóquio é não se tornar o saco de pancadas do torneio de futebol masculino. A princípio, o craque do time é o artilheiro Firas Al-Ghamdi, de 21 anos, que foi contratado nesta temporada pelo Gimnàstic de Tarragona, da Espanha.

Time base (4-3-2-1): Nawaf Al-Ghmdi (Al Hilal); Muhannad Al-Shanqeeti (Al Ittihad), Saud Abdulhamid (Al Ittihad), Hassan Al-Tambakti (Al-Shabab) e Hazin Al-Zahrani (Al Ittihad); Mansor Al-Beshe (Al-Raed), Ibrahim Mahnashi (Al-Ettifaq), Turki Al-Ammar (Al-Shabab) e Hamed Al-Ghamdi (Al-Ettifaq) e Firas Al-Burainkan (Al-Faisaly); Firas Al-Ghamdi (Gimnàstic-ESP).

LEIA MAIS: 

Afundado em dívidas, Botafogo recusa oferta do Internacional por lateral; saiba os valores! 

‘Pagode do Mirage’: atacante do Paysandu é flagrado em festa clandestina em Belém; clube ainda não definiu punição 

Chapecoense quer compensação financeira para liberar cria da base para o Remo