Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

São Paulo aproveita erros defensivos do Vasco e confirma vitória sem muitos sustos no Morumbi

Na coluna PAPO TÁTICO, Luiz Ferreira destaca o duelo tático entre Hernán Crespo e Lisca no jogo de ida das oitavas de final da Copa do Brasil

Luiz Ferreira
Produtor executivo da equipe de esportes da Rádio Nacional do Rio de Janeiro, jornalista e radialista formado pela ECO/UFRJ, operador de áudio, sonoplasta e grande amante de esportes, Rock and Roll e um belo papo de boteco.

Crédito: Rubens Chiri / saopaulofc.net

É preciso dizer que o São Paulo não teve muitos problemas para vencer o Vasco por 2 a 0 (com gols de Rigoni e Pablo) nesta quarta-feira (28) e abrir uma boa vantagem nas oitavas de final da Copa do Brasil. A partida disputada no Morumbi também nos mostrou que o time comandado por Hernán Crespo soube muito bem como provocar e aproveitar os erros defensivos do Gigante da Colina ainda que não tenha sido lá muito brilhante com a posse da bola. Lisca Doido, por sua vez, vai ter muito trabalho para acertar todos os setores da sua equipe apesar de ter conseguido deixá-la mais equilibrada e competitiva no segundo tempo. O São Paulo se recupera da goleada sofrida para o Flamengo no último final de semana e mostra que tem futebol suficiente para se livrar da situação incômoda na tabela do Campeonato Brasileiro. Já o Vasco ainda precisa de tempo para se adaptar ao estilo de jogo do seu treinador.

Armado no 3-1-4-2 costumeiro de Hernán Crespo, o São Paulo começou a partida marcando forte e empurrando as linhas do Vasco para trás. Orejuela e Reinaldo batiam de frente com Léo Matos e Zeca e a dupla de ataque formada por Rigoni e Pablo encontrava muito espaço e atormentava a vida de Leandro Castán e Ernando no terço final. Tudo por conta da boa dinâmica e da movimentação colocada por Benítez e Igor Gomes no meio-campo do Tricolor Paulista e das dificuldades encontradas por Bruno Gomes e Galarza na marcação e na saída de bola. Mais à frente, o argentino Cano recuava demais para buscar o jogo, visto que Gabriel Pec, Marquinhos Gabriel e Léo Jabá não conseguiam colocar a intensidade necessária sempre que a bola chegava neles para vencer o trio de zagueiros do São Paulo. A equipe de Hernán Crespo ocupava bem os espaços e controlava bem o jogo sem muitos sustos e sem muitos problemas.

Vasco vs Sao Paulo - Football tactics and formations

O São Paulo não teve muitos problemas para controlar as ações na partida diante de um Vasco espaçado e sem intensidade. A movimentação ofensiva do 3-1-4-2 de Hernán Crespo aproveitava bem a falta de intensidade e os (muitos) espaços deixados pelo escrete comandado por Lisca Doido.

O gol de Rigoni (marcado logo aos 13 minutos do primeiro tempo) mostrava bem que o São Paulo dominava bem as ações no jogo ao atrair os marcadores rivais e aproveitar os espaços que apareciam à frente de Ernando e Leandro Castán. Inclusive, este último teve uma noite para ser esquecida no Morumbi. O camisa 5 esteve muito mal posicionado, sem tempo de bola e foi completamente envolvido pela movimentação da dupla de ataque do Tricolor Paulista. Méritos também de Pablo e Rigoni na movimentação e de Igor Gomes e Benítez na distribuição dos passes. Vale destacar aqui a grande atuação do camisa 77 na partida. Emiliano Rigoni é o tipo de atacante bastante raro aqui por estas bandas. Ambidestro, rápido, inteligente e muito intenso nos movimentos, o argentino é um verdadeiro achado da diretoria do São Paulo e se encaixou perfeitamente no esquema de jogo de Hernán Crespo. Baita jogador.

A entrada de Andrey no lugar de Gabriel Pec encorpou um pouco mais o meio-campo do Vasco, mas a única chance real de gol do escrete de Lisca nasceu de um chute de Bruno Gomes no início do segundo tempo. Os espaços diminuíram, mas a defesa continuou cometendo falhas e o ataque pecava demais nas tomadas de decisão. Cano, Arthur Salles e Léo Jabá tiveram boas chances, mas preferiram a jogada individual a passar a bola para os companheiros melhores posicionados. Tudo isso era muito bem aproveitadas pelo São Paulo. Hernán Crespo (que já havia perdido Arboleda no final da primeira etapa) descansou Rigoni e Benítez e aumentou a intensidade da sua equipe com as entradas dos jovens Gabriel Sara, Marquinhos e Talles Costa. E em nova falha do Vaso na bola aérea, Pablo marcou o gol da vitória (justíssima) do Tricolor Paulista. Sem muitos sustos, controlando bem o jogo e evitando ainda mais lesões no elenco.

Sao Paulo vs Vasco - Football tactics and formations

O Vasco melhorou a marcação no meio-campo com a entrada de Andrey no lugar de Gabriel Pec, mas a defesa continuou falhando muito. Do outro lado, Hernán Crespo descansou jogadores, manteve a formação e viu o São Paulo matar o jogo com o gol de Pablo aos 33 minutos do segundo tempo.

Mesmo conquistando uma boa vantagem na briga por uma vaga nas quartas de final da Copa do Brasil, é preciso dizer que o São Paulo ainda pode melhorar seu desempenho e recuperar o nível de intensidade das atuações do Campeonato Paulista. Por outro lado, o fantasma das lesões segue assombrando o elenco. Não foi por acaso que Hernán Crespo resolveu tirar Benítez e Rigoni no segundo tempo. Já são vinte lesões desde que o treinador argentino assumiu o comando do time há seis meses. Fato que preocupa demais para a sequência de uma temporada que envolve a disputa da Copa Libertadores da América e a disputa do Campeonato Brasileiro além do tão sonhado (e ainda inédito) título da Copa do Brasil. E vale lembrar que o estilo mais intenso de Crespo (com clara influência de Marcelo Bielsa) vem cobrando seu preço. O São Paulo só vai conseguir atingir seu ápice com todos os jogadores disponíveis.

Lisca conseguiu tirar um melhor desempenho e mais competitividade da sua equipe no segundo tempo, mas o São Paulo teve inteligência suficiente para controlar o jogo e aproveitar os erros do seu adversário. Resta saber como o escrete de Hernán Crespo vai dosar força e intensidade para suportar a maratona de partidas e fugir das lesões. E também é preciso dizer que o duelo ainda está aberto apesar da vantagem de dois gols obtida contra o Vasco. Muita coisa ainda pode acontecer nesse confronto.

CONFIRA OUTRAS ANÁLISES DA COLUNA PAPO TÁTICO:

Seleção Olímpica volta a oscilar, mas retoma o controle e supera a Arábia Saudita na base do volume de jogo

Precisamos falar sobre o jogo coletivo e a organização defensiva do Fortaleza de Juan Vojvoda

Enquanto aguarda os reforços, Corinthians supera o Cuiabá com a força dos jovens da base; confira a análise