Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Palmeiras inclui multa altíssima em contrato de Borja para evitar a “lei do ex”

Palmeiras cedeu atacante colombiano ao Grêmio por empréstimo até dezembro de 2022

Marcel Thomé
Jornalista e assessor de imprensa

Crédito: Lucas Uebel/Grêmio FBPA

O Palmeiras acertou a saída do colombiano Miguel Borja por empréstimo ao Grêmio até o fim da próxima temporada, mas mostrou precaução para evitar levar gol do atacante em um eventual encontro.

De acordo com Blog do Danilo Lavieri, do UOL Esporte, o Verdão incluiu uma multa considerada “altíssima” e “multo improvável de ser paga” como cláusula contratual no caso do time gaúcho escalar o centroavante em confrontos com o Palmeiras.

LEIA TAMBÉM: Mercado da bola: Palmeiras acerta contratação de novo “matador”

Assim, fica mais difícil ter Borja como adversário do time alviverde no período em que ele estiver emprestado ao Tricolor gaúcho.

Palmeiras inclui opção de venda de 50% dos direitos

Segundo o “Nosso Palestra“, o Grêmio pode adquirir 50% dos direitos econômicos de Borja até o dia 15 de dezembro deste ano, pelo valor de U$ 2,5 milhões (R$ 13 milhões).

Caso não efetue o pagamento, o Importal fica obrigado a liberar o jogador colombiano se alguma proposta atraente chegue ao Palmeiras vinda de clubes do exterior. Antes do empréstimo ser concretizado, o Alviverde renovou com o atleta até o final de 2023.

Pela cessão, o Grêmio aceitou pagar US$ 1 milhão (R$ 5,21 milhões) ao Palmeiras. Além disso, o salário de Borja girará em torno de R$ 800 mil – acréscimo de R$ 300 mil ao que ele recebia do time paulista (US$ 100 mil).

LEIA MAIS:

As melhores notícias de esportes, direto para você