Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Vice do Conselho, Rafael Menin revela valor da folha salarial do Atlético-MG

Menin, que também é um dos parceiros do Atlético, crê que o valor ainda pode ter uma queda neste mês

Eder Bahúte
Jornalista e assessor de imprensa.

Crédito: Foto: Bruno Cantini / Agência Galo / Atlético

O Atlético-MG fez contratações importantes para esta temporada. Diferentemente do ano passado, quando trouxe muitos jogadores, a direção alvinegra decidiu trazer reforços pontuais, mas que chegassem com status de titular. Foram os casos do meia Nacho Fernández e os atacantes Hulk e Diego Costa.

A chegada destes atletas deixou o torcedor preocupado em relação à folha salarial do clube. Dono de uma das maiores dívidas do futebol brasileiro, o Atlético garante que os números são bem parecidos com os de 2020. Rafael Menin, um dos investidores do Galo e vice-presidente do Conselho Deliberativo falou sobre o tema.

“Você tem que colocar encargos, comissão técnica. Se a gente for usar a mesma linguagem que é divulgada pelos clubes, nossa folha é de R$ 13 milhões. Mas tem outras despesas acessórias, que são encargos, comissão técnica, divisões de base… para comparar com o que se fala, nossa folha é entre R$ 13 e R$ 14 milhões”, respondeu em entrevista ao Fala Galo.

Segundo Menin, a saída para equilibrar as finanças foi a saída de alguns jogadores. Nos últimos dias, por exemplo, Marrony foi negociado com o Midtjylland, da Dinamarca, em uma negociação de 4,5 milhões de euros (cerca de R$ 27,6 milhões).

“Saíram do Atlético o Marrony, o Gabriel, o Bueno, uma exoneração que a gente pagava 50% do salário. Pode ser que aconteça mais um movimento nas próximas duas semanas. A ideia é que a gente consiga, mesmo com a chegada do Diego, manter a folha exatamente como ela estava no mês de junho. Esse é o nosso objetivo, deixar a folha parecida com a de dezembro, é um parâmetro que temos. A comissão técnica era muito cara, tínhamos muitos jogadores emprestados com 50% do salário pago por nós. Cerca de 20 jogadores deixaram de fazer parte da folha. A nossa folha de setembro ou outubro vai ser igual à de dezembro do ano passado. Hoje está um pouquinho acima, mas deve acontecer algum movimento em setembro para a gente voltar”, completou.

Aos ‘Donos da Bola’, da TV Bandeirantes, Rodrigo Caetano, diretor de futebol, relatou que a folha salarial está entre R$ 12 e R$ 14 milhões.

LEIA TAMBÉM:

Brasileirão: Veja os reforços mais caros no mercado da bola da Série A

Brasileirão: Veja TODAS as contratações dos clubes da Série A nesta janela

Douglas Costa, Willian e mais: 10 jogadores que contratados ‘de graça’

Brasileirão: 22 jogadores que renovaram contrato em meio à janela de transferências