Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Nicole Silveira faz história no esporte brasileiros e não descarta medalhas olímpicas: “é só o começo”

Atleta do skeleton conquistou quatro dos cinco ouros possíveis que ela disputou recentemente em Whistler, no Canadá

Flavio Souza
Desde 2006 escrevo sobre esportes em geral e participo do site Torcedores.com desde dezembro de 2018, onde exerço função de Colaborador Sênior.Atualmente meu foco é no futebol brasileiro e internacional, mas procuro falar sobre outras modalidades, como esportes olímpicos, por exemplo.Procuro trazer informações relevantes sobre os clubes fora de campo, como entrevistas, análises financeiras, desempenho das equipes em redes sociais e análises táticas.

Crédito: Divulgação / Acervo pessoal

Nicole Silveira já tinha firmado seu nome na história do Brasil ao ser a primeira atleta a representar o país em um Mundial. Mas nas últimas semanas ela se destacou ainda mais ao vencer as três etapas da Copa América e uma das duas etapas da Intercontinental Cup.

Em entrevista exclusiva ao Torcedores.com, a atleta do skeleton brasileiro falou sobre suas recentes conquistas e até em relação a uma possível medalha nas Olimpíadas.

Torcedores – De 24ª no Mundial em 2020 para esse desempenho histórico na Copa América. Você esperava essa evolução tão rapidamente?

Nicole Silveira – Nunca. Ainda está sendo tudo muito surreal. Acreditava que iria melhorar óbvio, mas não desta rapidez. Achava que talvez fosse normal depois que aconteceu e está acontecendo, mas o pessoal do esporte mesmo, de outros países, estão impressionados também.

T – Hoje quem são suas principais adversárias no skeleton?

NS – Diria que seriam Alemanha, Rússia, Bélgica, Áustria, Grã Britânia, Holanda, Estados Unidos, e República Checa.

T – Você acumulou 225 pontos no ranking de classificação para os Jogos Olímpicos. A vaga em Pequim já está garantida?

Não está garantida. Não existe um número certo de pontos que garanta a vaga. Preciso terminar entre as top 25 do ranking mundial. Vão contar 7 das minhas melhores competições como pontuação para meu ranking. O corte olímpico acontece dia 16 de janeiro, depois desta data vou ter certeza que qualifiquei. Temos ideias da média de pontos necessários, mas como falei, nada é garantido.

T – Quais são as próximas etapas da sua preparação e sua agenda de competições?

NS – Minha agenda é a seguinte:

  • Copa América Park City: 19 e 20 novembro
  • Copa Intercontinental Park City: 23 e 24 novembro
  • Copa do Mundo Altenberg, Alemanha: 3 de dezembro
  • Copa do Mundo Winterberg, Alemanha: 10 de dezembro
  • Copa do Mundo Altenberg, Alemanha: 17 de dezembro
  • Copa do Mundo Sigulda, Estônia: 31 de dezembro
  • Copa do Mundo Winterberg, Alemanha: 7 de janeiro 2022
  • Copa do Mundo St.Moritz, Suíça: 14 de janeiro 2022

A data do corte olímpico será no dia 16 de Janeiro 2022. Já os Jogos terão seu início no dia 4 de fevereiro do próximo ano.

T – Pelo desempenho na Copa América, é possível sonhar com medalhas nas Olimpíadas no skeleton?

NS – inicialmente o objetivo era somente em qualificar, logo passou para top 20, top 17, top 10… não gosto de dizer que não é possível, porque tudo é possível. Consigo ter uma visão bem melhor agora de um dia estar naquele pódio. Vai dar trabalho? sim. Estou pronta para trabalhar dura? Sim. Não vai ser fácil, mas “never say never” (nunca diga nunca).

T – Já caiu a ficha que você está marcada de vez na história do esporte brasileiro? Como está sendo a repercussão após o seu desempenho em Whistler?

NS – Não caiu a ficha. Como falei, está sendo muito surreal. De poder representar o nosso país desta forma, nunca imaginaria. Criar história, menos ainda. Como estou em preparação para as próximas competições aqui em Whistler, continuo com o foco na pista. Treino focando não no resultado, mas no meu desempenho e uma descida de cada vez. Estou usando os resultados das últimas competições para refletir e ver o que posso fazer de melhor. A torcida está grande por mim e fico muito emocionada mesmo, me pego sorrindo pra mim mesma seguido ultimamente e em “awe (temor)” do que está realmente acontecendo. Leio todas as mensagens de incentivo, me parabenizando, de torcida e me motiva mais ainda para vencer. Este é só o começo!

Mais informações de Nicole Silveira

Com apenas quatro anos nos esportes de inverno, a brasileira vem acumulando resultados importantes em sua carreira no gelo. Depois de iniciar no bobsled, ela mudou de modalidade, começando a disputar campeonatos no skeleton. E desde essa mudança, ela vem subindo ano após ano. O desempenho recente nas duas competições citadas, mostra a nítida evolução de Nicole Silveira.

LEIA TAMBÉM:

Neymar sente incômodo muscular e não viaja para encarar a Argentina pelas Eliminatórias
Palmeiras demonstra interesse e pode fazer investida para contratar titular do River Plate
Benítez fica no São Paulo? Clube volta a negociar permanência do argentino na equipe
Flamengo volta a atropelar o São Paulo, faz 6×1 no agregado e é bicampeão da Copa do Brasil sub-17
Brasileirão Série A 2021: confira a tabela completa do campeonato
Brasileirão Série B 2021: confira a tabela completa do campeonato

Nicole Silveira vence o Prêmio Brasil Olímpico pela 2ª vez consecutiva
Nicole Silveira faz história na Copa América de skeleton, encerrando competição com três medalhas de ouro consecutivas
Confira o desempenho do Brasil no terceiro dia da Copa América