Home Mercado da Bola Diego Godín será o décimo terceiro uruguaio na história no Atlético-MG; relembre os outros

Diego Godín será o décimo terceiro uruguaio na história no Atlético-MG; relembre os outros

Diego Godín é a principal contratação do Atlético-MG para a temporada 2022

Wilson Pimentel
Jornalista esportivo desde 1998. Cobriu os principais eventos esportivos da última década. Passou pelas redações do SBT, Record TV, CNT, Esporte Interativo, Rádio Tupi, Rádio Brasil e Rádio Manchete. É correspondente de veículos de comunicação da Colômbia, Croácia, Paraguai e Portugal. Está no Torcedores.com desde 2019.
Diego Godín é o novo reforço do Atlético-MG

Divulgação/ AUF

PUBLICIDADE

Antes de mais nada, Diego Godín, novo zagueiro do Atlético-MG, será o decimo terceiro uruguaio da história. Antes dele, passaram pelo clube jogadores que habitam os sonhos dos torcedores e outros que não deixaram saudades no período que vestiram a camisa atleticana.

O pioneiro deles foi o lateral-esquerdo Hector Cincunegui, em 1968. À época, chegou com status de craque por suas atuações à serviço da seleção uruguaia. Nesse ínterim, disputou 194 jogos e um gol.  Além disso, ficou marcado pelas conquistas do Brasileirão de 1971 e do Campeonato Mineiro de 1970.

Posteriormente, o nome de maior relevância a defender as cores do Atlético-MG foi Ladislado Mazurkiewicz. O lendário goleiro chegou ao Galo em 1972. Entretanto, o “Polaco”, como era chamado por seus companheiros, não faturou um título sequer na sua passagem pelo clube.

PUBLICIDADE

Agora, Diego Godín se junta ao contestado lateral-esquerdo Lucas Hernández com a missão de fazer o Atlético-MG repetir o feito da última temporada quando venceu o Campeonato Brasileiro, a Copa do Brasil e o Campeonato Mineiro.

Aproveitando o gancho da chegada do “El Faraón”, o Torcedores.com listou todos os uruguaios que vestiram a camisa atleticana. Confira os jogos, gols e títulos que eles conquistaram (ou não) pelo clube!

Agustín Viana

Posição: Lateral-esquerdo

No clube: 2008

PUBLICIDADE

Jogos: 13

Gols marcados: 1 

Lateral-esquerdo de qualidade duvidosa, Agustín Viana teve breve passagem pelo Atlético-MG. Foi contratado pelo clube após se destacar pelas seleções de base do Uruguai. Entretanto, teve seu vínculo encerrado antes da data prevista devido as fracas atuações pelo Galo.

Carlos Gutiérrez

Posição: Zagueiro

PUBLICIDADE

No clube: 2002 a 2003

Jogos: 48

Gols marcados: 0

Revelado pelo River Plate de Montevidéu, o zagueiro chegou clube indicado pelo técnico Geninho. Nesse ínterim, disputou posição com Marcelo Djian, Neguette, Álvaro, Batata e Nem. No entanto, Carlos Gutiérrez, considerado um jogador de poucos recursos técnicos, ficou pouco mais de um ano no Galo.

PUBLICIDADE

Nome: David Terans

Posição: Atacante

No clube: 2018 a 2019

Jogos: 33

Gols marcados: 1

PUBLICIDADE

Antes de tudo, o atacante chegou ao clube mineiro após se destacar por Rentistas (URU), Santiago Wanderers (CHI) e Danubio (URU). Entretanto, o atacante não conseguiu se destacar com a camisa alvinegra. E, por isso, foi emprestado ao Peñarol. Atualmente é jogador do Athletico Paranaense. Lá, venceu a Copa Sul-Americana de 2021.

Nome: Fabián Carini

Posição: Goleiro

No clube: 2009 a 2010

Jogos: 13

PUBLICIDADE

Gols sofridos: 1

O goleiro chegou ao clube com status de estrela internacional após defender as metas da Juventus, Internazionale, Cagliari, além da seleção uruguaia. No entanto, alternou bons e maus momentos debaixo das traves alvinegras. E, por isso, teve vida curta no clube. Apesar disso, integrou o elenco que venceu o Campeonato Mineiro de 2010.

Nome: Fernando Kanapkis

Posição: Zagueiro

No clube: 1993 a 1994

PUBLICIDADE

Jogos: 23

Gols marcados: 1

Foi contratado pelo Atlérico-MG para fazer parte do time que ficou conhecido como “Selegalo”. No entanto, teve passagem sem brilho ao lado de Renato Gaúcho, Neto, entre outros. Ficou marcado por um lance protagonizado pelo então garoto Ronaldo, de apenas 17 anos, do Cruzeiro. Em um clássico no Mineirão, ele foi driblado duas vezes no mesmo lance pelo Fenômeno. E, por isso, caiu em desgraça com a torcida.

Nome: Fernando Rosa

Posição: Lateral-esquerdo

PUBLICIDADE

No clube: 1993 a 1994

Jogos: 7

Gols marcados: 0

Indicado pelo então técnico Valdir Espinosa, o lateral-esquerdo chegou no pacotão que tinha Luís Carlos Winck, Adilson Batista, Fernando Kanapkis, Darci, Neto, Gaucho, Renato Gaúcho, entre outros. Fernando Rosa, assim como todos os astros, teve passagem apagada pelo clube. Posteriormente teve o contrato rescindido pela diretoria.

PUBLICIDADE

Nome: Héctor Cincunegui

Posição: Lateral-esquerdo

No clube: 1968 a 1973

Jogos: 194

Gols marcados: 1

PUBLICIDADE

Chegou ao Atlético-MG dois anos depois de disputar a Copa do Mundo pela seleção uruguaia, na Inglaterra, em 1966. Campeão Sul-Americano com a Celeste em 1964, o defensor foi peça importante nas conquistas do Campeonato Brasileiro de 1971 e do Mineiro de 1970. É, portanto, uma verdadeira lenda dentro do clube.

Nome: Ladislado Mazurkiewicz

Posição: Goleiro

No clube: 1972 a 1974

Jogos: 89

PUBLICIDADE

Gols sofridos: 67

Um dos maiores goleiros que passaram pelo Atlético-MG. O camisa 1 fez parte de um time que tinha Dario, Lôla, Vantuil e grande elenco. Revelado pelo Peñarol, ele ainda passou pr clubes como Granada (ESP), Cobreloa (CHI) e América de Cali (COL).

Nome: Leo Percovich

Posição: Goleiro

No clube: 1994

PUBLICIDADE

Jogos: 8

Gols sofridos: 12

Antes de mais nada, surgiu com grande destaque no Nacional de Montevidéu. Foi levado para o Atlético-MG pelo empresário Juan Figer. No entanto, o arqueiro não conseguiu se firmar como titular e logo deixou o clube. Posteriormente, teve passagem sem brilho por Guarani, Fluminense e Bangu.

Nome: Lucas Hernández

Posição: Lateral-esquerdo

PUBLICIDADE

No clube: 2019 até o presente momento

Jogos: 7

Gols marcados: 0

Foi contratado para fazer sombra a Fábio Santos. Porém, o experiente lateral-esquerdo nunca deu brecha para o uruguaio se firmar como titular. Após defender o Cuiabá em 2021, o uruguaio retornou ao Atlético-MG sem perspectiva de que será utilizado pelo técnico Antonio Mohamed.

PUBLICIDADE

Nome: Martín Rea

Posição: Zagueiro

No clube: 2018 a 2019

Jogos: 2

Gols marcados: 0 

PUBLICIDADE

Chegou ao clube com status de grande revelação do futebol uruguaio após se destacar pelo Danúbio. Entretanto, o zagueiro não conseguiu agradar aos técnicos Oswaldo de Oliveira, levir Culpi e Thiago Larghi. Após deixar o Galo, teve passagem sem brilho pelo futebol mexicano. Aos 24 anos, está à procura de uma equipe para defender em 2022.

Nome: Walter Olivera

Posição: Zagueiro

No clube: 1983 a 1985

Jogos: 72

PUBLICIDADE

Gols marcados: 8

O zagueiro chegou ao clube mineiro após conquistar pelo Peñarol o Mundial de Clubes de 1983. Formou dupla de zaga com Luisinho. Líder em campo, não demorou muito para receber apoio da Massa atleticana. Como jogador venceu o Campeonato Mineiro de 1983. Dois anos depois conquistou novamente a competição, mas desta vez como técnico da equipe.

LEIA MAIS: 

Atlético-MG pode desistir da contratação de Cristián Pavón; atacante é acusado de estupro na Argentina 

Boca Juniors quer “acordo amigável” para não perder Cristián Pavón de graça para o Atlético-MG 

Lesões, poucos jogos e coronavírus: o que a última temporada mostrou de Diego Godín, do Atlético-MG 

Diego Godín treina no CT da seleção uruguaia antes de se apresentar ao Atlético-MG 

Douglas Costa pede desculpas à torcida do Grêmio, reconhece erros e comunica decisão sobre o futuro 

Corinthians tem centroavante ‘plano B’ caso não chegue a acerto com Diego Costa 

Flamengo: Paulo Sousa promove “reunião particular” com Gabigol, Bruno Henrique e Pedro 

Botafogo já sabe o que fazer com parte do investimento de John Textor na SAF; confira