Torcedores – Notícias Esportivas

Na mira do Atlético-MG, Cristián Pavón não se reapresenta e força saída do Boca Juniors

Cristián Pavón tem contrato com o clube argentino até junho de 2022

Wilson Pimentel
Jornalista esportivo desde 1998. Cobriu os principais eventos esportivos da última década. Passou pelas redações do SBT, Record TV, CNT, Esporte Interativo, Rádio Tupi, Rádio Brasil e Rádio Manchete. É correspondente de veículos de comunicação da Colômbia, Croácia, Paraguai e Portugal. Está no Torcedores.com desde 2019.

Crédito: Divulgação/ Boca Juniors

Antes de mais nada, a novela sobre o futuro de Cristián Pavón no Boca Juniors ganhou novo capítulo neste sábado. O atacante era esperado no Centro de Treinamentos Casa Amarilla para realizar testes de Covid-19 e iniciar a pré-temporada com o grupo. Porém, não apareceu.

O Torcedores.com apurou que Cristián Pavón está forçando a saída do Boca Juniors. Tanto ele quanto seu empresário, Fernando Hidalgo, entendem que a relação com dos dirigentes se desgastou nos últimos meses. Afinal, as partes não chegaram a um denominador comum para renovação de contrato.

O atual vínculo do atacante termina em junho, mas as partes estão longe de um acordo devido a divergências sobre o tempo de contrato, pedida salarial e cláusulas de bonificações por metas atingidas.

O atacante está irritado com a postura dos dirigentes do Boca Juniors durante as negociações, e por isso, a ausência na reapresentação está relacionada a uma possível transferência, sem qualquer ligação com um possível caso positivo do jogador para Covid-19.

Cristián Pavón já deixou claro que não pretende continuar no clube argentino. O principal motivo é a falta de reconhecimento financeiro. Afinal, ele alegar estar em um nível salarial abaixo de astros como Marco Rojo, Frank Fabra e Sebástian Villa.

Além do Atlético-MG, o Cruz Azul, do México, também tem interesse na contratação do atacante, mas diante da relutância do presidente do Boca Juniors, Juan Román Riquelme, em antecipar o fim do contrato, Cristián Pavón está tentando forçar sua saída do clube.

O Boca Juniors só pretende liberá-lo por US$ 2,5 milhões (R$ 13,8 milhões, pela cotação atual), valor que o Atlético-MG não pretende empenhar para contratá-lo. Cristián Pavón tem 25 anos e marcou quatro gols em 36 jogos pela equipe em 2021.

A carreira de Cristián Pavón

Cria do Talleres, Cristián Pavón foi adquirido pelo Boca Juniors em 2014. Ele custou US$ 3,4 milhões (R$ 19 milhões, à época) aos cofres do clube. Contratado com status de grande revelação, o atacante não conseguiu se firmar na sua primeira temporada pela equipe Xeineze.

No ano seguinte, foi emprestado em sequência ao Colón onde teve passagem destacada. Ao retornar ao Boca Juniors, o jogador se tornou peça-chave no time comandado por Guilhermo Barros Schelotto acumulando boas atuações e títulos pelo clube.

Em 2019, Cristián Pavón deixou novamente o La Bombonera. Mas desta vez foi seduzido pelos dólares do Los Angeles Galaxy. Nas duas temporadas que atuou na Major League Soccer, o atleta disputou 35 jogos, marcou 14 gols, fez oito assistências e entrou para a seleção da MLS.

No ano passado, por exemplo, o ponta-esquerda disputou 36 partidas pelo Boca Juniors, sendo sete na Copa Libertadores da América, 21 no Campeonato Argentino, quatro na Copa da Argentina e quatro na Copa da Liga Argentina.

LEIA MAIS: 

Diego Godín será o décimo terceiro uruguaio na história no Atlético-MG; relembre os outros 

Atlético-MG pode desistir da contratação de Cristián Pavón; atacante é acusado de estupro na Argentina 

Boca Juniors quer “acordo amigável” para não perder Cristián Pavón de graça para o Atlético-MG 

Lesões, poucos jogos e coronavírus: o que a última temporada mostrou de Diego Godín, do Atlético-MG 

Corinthians recebe proposta por atacante do futebol árabe e negócio pode ser selado 

Após Neymar admitir saudades da Vila Belmiro, presidente do Santos manda recado para o craque 

Diretor do Atlético-MG desmente investida por técnico da Série A: ‘Isso não procede’ 

Outros três atacantes são alvos do Palmeiras para o Mundial