Torcedores – Notícias Esportivas

Paulo Sousa abre o jogo sobre Diego Alves, questiona recuperação ‘de um dia para o outro’ e dispara: “Tem que treinar para jogar”

Paulo Sousa alega que Diego Alves não treinou nenhuma vez desde o clássico contra o Botafogo e que, por isso, não poderia jogar

Danielle Barbosa
Jornalista. Escrevendo para o Torcedores desde 2014.

Crédito: Gilvan de Souza/Flamengo

O técnico Paulo Sousa abriu o jogo sobre a polêmica envolvendo o goleiro Diego Alves, que se colocou à disposição para jogar contra a Universidad Católica, nesta terça-feira (17), pela quinta rodada da fase de grupos da Copa Libertadores em meio as críticas da torcida a Hugo Souza pela falha no empate com o Ceará, pelo Brasileirão.

Em entrevista coletiva após a vitória por 3 a 0 sobre o time chileno no Maracanã, Paulo Sousa contou todo imbróglio com Diego Alves, lembrando que o camisa 1 foi desfalque nos últimos jogos devido a uma lesão.

— O Diego [Alves], após o jogo do Botafogo, onde fez o aquecimento, no dia seguinte ele reportou ao departamento médico dores no púbis um pouco dispersas. O departamento fez uma ressonância, temos que confiar no jogador. Nem tudo vai ter algo gráfico. Todos os dias um colaborador meu fala com todos os jogadores para ter sensações e perceber que nível de dor ou contrações musculares ou se dormiu bem ou mal. Para podermos ir ajustando o tipo de trabalho e as ações — começou Paulo Sousa.

O comandante rubro-negro revelou que na segunda-feira, às vésperas do confronto contra a Católica, Diego Alves ainda estava com dores. Já no periodo da tarde, o goleiro apresentou uma leve melhora, fato que intrigou Paulo Sousa.

— Ontem [segunda] de manhã ele continuava a ter dores. À tarde, o nosso fisioterapeuta disse que o Diego estava melhorzinho, que se sentia capaz para poder treinar. Se vocês verificarem o que são dores no púbis e o tempo que leva para recuperação, não pode ser de um dia para o outro. Ou por uma reunião que teve com o Bruno Spindel na hora do almoço. E que rapidamente se recuperou e podia estar disponível para jogar.

— Aqui os processos não são assim, os jogadores para jogar têm que treinar. E ele não treinou nenhum dia desde o jogo contra o Botafogo, por isso não podia estar relacionado – completou Paulo Sousa.

Com contrato válido só até o final de dezembro deste ano, Diego Alves atuou em apenas dois jogos do Flamengo na atual temporada, com três gols sofridos – a última partida do goleiro de 36 anos foi no empate por 2 a 2 com o Resende, pela rodada do Campeonato Carioca, no dia 27 de fevereiro.

Elogios a Hugo Souza:

Paulo Sousa também cometou a situação de Hugo, goleiro que tem sido titular na temporada. O treinador defendeu o jogador de 23 anos, que foi vaiado pela torcida a cada toque na bola no Maracanã.

— Dentro do grupo, cada vez mais há uma união muito grande. O Hugo pediu para não falar. Todos os jogadores pediram para ele estar no centro para dar toda a força que ele merece – disse.

— Vamos tentar ser um bocadinho honestos. Vamos ver o percurso do Hugo e o crescimento técnico do goleiro. Procurem ser analistas e vejam o crescimento dele, um menino de 23 anos, com uma torcida e uma pressão que o Flamengo exerce, que é grande. Ver o crescimento emotivo, a capacidade de controle emotivo dos jogos que ele tem tido tem sido extraordinária, para um menino de 23 anos. Hoje percebeu-se perfeitamente que o impacto foi grande, e o grupo quis dizer que está com ele. No dia a dia é exatamente isso que passa — completou.