Home Futebol Campeonato Amapaense vive caos com todos os semifinalistas excluídos; entenda

Campeonato Amapaense vive caos com todos os semifinalistas excluídos; entenda

Amapazão vê série de denúncias de irregularidades de times que disputaram as semifinais da temporada 2024 do estadual

Victor Martins
De Santo André-SP, formado em Jornalismo pela Unversidade Metodista de São Paulo (classe de 2010-13), trabalhando no Torcedores desde janeiro de 2016 (ou algo neste sentido). Iniciado na profissão desde meados de 2006, ao fazer a cobertura da Copa do Mundo da Alemanha para o site Abolanet. cobrindo jogos e os destaques de algumas seleções durante o evento, e posteriormente trabalhando neste até cerca de 2007. Entre os anos de 2008 e 2015, trabalhei para uma agência de notícias que produziu conteúdo para diversas páginas. Destas, principalmente a da Federação Paulista de Futebol, fazendo serviços de placar ao vivo das mais diversas competições (nacionais e internacionais) e serviços de pós-jogo focados nos clubes de São Paulo Desde 2016 venho trabalhando no Torcedores, onde venho desempenhando uma série de funções dentro do site, como setorista de clubes do futebol brasileiro e de outros esportes (MMA), além de trabalhar em várias partes do organograma da página. Atualmente, exerço trabalho na cobertura de futebol nacional e internacional, com a criação de matérias sobre clubes e jogadores, além de produção de guias de TV (onde assistir aos jogos) das partidas dos mais variados torneios no Brasil e no mundo
Amapaense 2024

Campeonato Amapaense vive polêmica com exclusão de clubes (Foto: Reprodução/Facebook Oficial FAF)

Imaginou um torneio em que não há como declarar um campeão pela eliminação de todos os times participantes? É isto que vive o Campeonato Amapaense, que viu seus quatro finalistas serem excluídos do torneio e gerar uma enorme confusão.

PUBLICIDADE

Disputaram as semifinais do Amapazão Trem, Santos, Independente e Oratório, avançando Trem e Oratório para a decisão estadual. Mas uma série de denúncias envolvendo os quatro times acusando os rivais de escalações irregulares acabou criando tal controvérsia no estado.

O caso

PUBLICIDADE

A polêmica começou, segundo o GE, quando o Santos, derrotado pelo Trem nas semifinais, entrou com ação do Tribunal de Justiça Desportiva do estado (TJD-AP) acusando o rival de ter escalado o técnico Sandro Macapá e o jogador Neto Oliveira de forma irregular na partida de volta das semifinais. Segundo alega o time, ambos teriam de cumprir suspensão em tal partida e isto não ocorreu;

A resposta do Trem se deu também indicando que atletas santistas (Dock e Felipe Oliveira) também foram escalados pelo rival mesmo tendo sido suspensos. Tais ações foram acatadas pelo TJD-AP, mas não foram as únicas feitas dentre os semifinalistas, já que Independente e Oratório também trocaram denúncias entre si em seu confronto nesta fase.

O Independente entrou com ação contra o Oratório alegando que este teria escalado um atleta (David Filipe) irregularmente, citando que este deveria cumprir uma suspensão de quatro jogos vinda do Amapaense de 2023, quando atuava pelo Santos. Mas esta não teria sido cumprida com a troca de time. A ‘resposta’ veio com a Orca denunciando a escalação de Fabinho, este também em situação considerada irregular, já que teria jogado e não cumprido uma suspensão,

As penas

PUBLICIDADE

Na terça-feira (30), o TJD-AP julgou os casos das quatro equipes e todas acabaram sendo excluídas do Amapazão. O quarteto foi denunciado no artigo 214 do Código Brasileiro de Justiça Desportiva (CBJD), que veda a inclusão de atletas e treinadores em situação irregular nas súmulas das partidas.

Além da exclusão, as quatro equipes foram multadas pelo caso (Santos foi multado em R$ 8 mil e os outros três times em R$ 4 mil). Cabe recurso a estas penas e a FAF (Federação Amapaense de Futebol) só deve definir o futuro da temporada 2024 quando todas as instâncias desportivas forem julgadas.

“Somente depois de todas as etapas legais e com a publicações finais de todos os resultados, poderemos definir, de acordo com a legislação vigente, os finalistas do Amapazão ou quais quer outras medidas que forem necessárias”, diz a FAF, em nota.