Paolo Maldini comenta sobre a sua luta contra o coronavírus

Ex-jogador e seu filho testaram positivo para a Covid-19

Cido Vieira
Jornalista em formação, e apaixonado por futebol desde criança. No Torcedores.com desde o ano de 2017, já acumulei diversas funções no site e atualmente me dedico a cobertura do futebol nordestino.

Crédito: Divulgação - Milan

Em entrevista ao jornal Corriere della Sera, o ex-jogador e agora diretor técnico do Milan, Paolo Maldini, detalhou sobre a sua luta contra o coronavírus que foi oficializada no último sábado. A Itália segue sendo o país mais afetado com a doença, ultrapassando os 6 mil óbitos.

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva! Siga o Torcedores também no Instagram

Recluso em sua casa, Maldini relata que os sintomas mais graves já passaram.

“Estou muito bem, o pior já passou. Ainda estou com uma tosse seca, perdi o paladar e o cheiro. Sabia que tinha porque sentia que não era assim, outras vezes, e então tomei a vacina contra a gripe. As dores são particularmente graves e você sente um aperto no peito”, disse o ex-jogador.

Quem chega e quem sai dos clubes?

 

“Senti os primeiros sintomas na quinta-feira, 5 de março. Dor nas articulações e músculos, febre nunca superior a 38 anos e meio. No dia seguinte, eu deveria ter ido a Milanello e, em vez disso, fiquei em casa, também senti falta de Milão-Gênova. Não vejo os jogadores há 14 dias, nenhum deles é positivo.

Maldini conta ainda que um amigo próximo teve problemas respiratórios por conta da doença, e que o lado psicológico tem ajudado ele a controlar o emocional.

“Um amigo meu teve problemas respiratórios: ele está hospitalizado no hospital de Legnano, ele não dorme e tem pesadelos. Foi melhor para mim, no entanto, estou confinado à minha família há dezoito dias. Um pouco de preocupação me ocorreu, mas psicologicamente me ajudou a ideia de que pai e mãe se foram porque, caso contrário, eu ficaria ansioso com eles “.

Questionado sobre a volta do futebol, Maldini afirma que este momento não é apropriado para se ter pressa, afinal uma recuperação não ocorrerá rapidademente.

“O futebol teve que parar mais cedo, era uma loucura jogar contra o Liverpool-Atlético de Madrid com as portas abertas. Uma final de campeonato deve estar lá e haverá, mas quando não podemos dizer agora. Não precisamos ter pressa, não nos recuperamos em dois dias. Todos os jogadores devem ter tempo para se recuperar e treinar, antes de voltar a jogar, serão necessárias pelo menos duas semanas de preparação. ”

LEIA MAIS: