Napoli define proposta para tentar tirar Everton Cebolinha do Grêmio, diz jornal

Intenção do clube italiano é contratar Everton Cebolinha na próxima janela

Bruno Romão
23 anos, estudante de Jornalismo, amante da escrita, natural de Campina Grande (PB) e um completo apaixonado por futebol. Contato: bruno.romao.nascimento@gmail.com

Crédito: Lucas Uebel - Grêmio

Segundo o jornal “La Gazzetta dello Sport”, o Napoli está disposto a pagar 27 milhões de euros (R$ 162.83 milhões) por Everton Cebolinha. Porém, a notícia de que o time estaria querendo contratar o brasileiro deixou a diretoria insatisfeita. Isso porque o preço do jogador pode acabar subindo, ou outros interessados acabarem surgindo. Mesmo assim, a intenção é estipular o preço em questão como “teto” da proposta.

Siga o Torcedores no Facebook para acompanhar as melhores notícias de futebol, games e outros esportes

O veículo cita que a dificuldade econômico do futebol brasileiro tem chances de acelerar a negociação. Dessa forma, nos próximos dias, os dirigente do Grêmio devem comunicar se a oferta foi aceita. Vale lembrar que o Tricolor Gaúcho detém 50% dos direitos do atacante.

Acompanhe as notícias do seu time pelo Facebook

“De Laurentiis (presidente do Napoli) não tem intenção de aumentar essa cifra (27 milhões de euros). E a dificuldade econômica que os times brasileiros atravessam deve acelerar a operação”, publicou o diário.

Titular absoluto do Grêmio, Everton também vem sendo presença constante na seleção brasileira. Em 2019, conquistou o título da Copa América, sendo um dos principais jogadores do torneio. Desde então, seu nome vem sendo especulado em clubes europeus. No entanto, o Grêmio optou por segurar o jogador, visando obter o máximo de lucro em sua venda.

Agora, resta saber se o Napoli irá conseguir adquirir o atleta. Aos 24 anos, ele é visto como um dos nomes mais promissores do futebol brasileiro, e pode iniciar sua trajetória no Velho Continente em breve.

LEIA MAIS

Everton perde o avô para o coronavírus e faz post emocionado na web: “Fiquei sem chão, não é só uma gripezinha”