Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Olimpíada de Tóquio: redes reagem à aparição do “besuntado de Tonga”; confira

Um dos grandes memes da Jogos Olímpicos do Rio, em 2016, Pita Taufatofua, o “besuntado de Tonga”, marcou presença na Cerimônia de Abertura da Olimpíada de Tóquio; redes sociais comentaram

Lucas Ayres
Colaborador do Torcedores

Crédito: (Hannah McKay - Pool/Getty Images)

Se o desfile das delegações é um dos momentos mais esperados da Cerimônia de Abertura dos Jogos Olímpicos, a entrada de um país é especialmente aguardada pelos fãs do esporte, e por que não, da beleza do corpo humano. Estamos falando, é claro, de Tonga e o porta-bandeira Pita Taufatofua, o “besuntado”.

O atleta de taekwondo ficou famoso em 2016 por, justamente no desfile das delegações, entrar trajado com uma vestimenta tradicional, e portanto com nu e coberto de óleo da cintura para cima. Nem é preciso dizer o porquê da imagem ter feito sucesso, muito menos do quanto os internautas, especialmente os brasileiros, terem ficado na expectativa de sua nova aparição na abertura da Olimpíada de Tóquio.

Até porque em 2018, o “besuntado de Tonga” apareceu novamente, só que nos Jogos Olímpicos de Inverno, e no mesmo “estilo”, apesar da baixíssima temperatura em PyeongChang, na China. Então já dá para imaginar o que aconteceu quando ele, em 2021, apareceu, ao lado da atleta Malia Paseka, novamente como porta-bandeira — e novamente no “traje” que o consagrou.

As reações ao “besuntado de Tonga” na Olimpíada de Tóquio

Houve até um outro grande momento do desfile das delegações na Cerimônia de Abertura, que foi a aparição de outro besuntado, o de Vanuatu, para “rivalizar” com o de Tonga. E o pessoal não deixou passar, é claro:

 

LEIA MAIS

Olimpíada de Tóquio: trilha da cerimônia de abertura teve com músicas de videogame; confira a playlist

Abertura da Olimpíada de Tóquio: Por que Brasil vai entrar como a 151ª delegação?

Olimpíada de Tóquio: fora da abertura, atletas brasileiros fazem desfile na Vila Olímpica

Olimpíada de Tóquio: por que a Rússia vai ser chamada pela sigla ‘“ROC”?