Olimpíada de Tóquio: Astro dos Bulls não viaja e basquete dos EUA pode chegar ao terceiro desfalque

Zach LaVine, armador da franquia de Chicago, entrou no protocolo da Covid-19 e não viajou à Tóquio com a delegação

Lucas Ayres
Colaborador do Torcedores

Crédito: Ethan Miller/Getty Images

A equipe de basquete masculino dos EUA está entre as mais dominantes de uma modalidade da história das Olimpíadas. Em Tóquio, porém, o “Dream Team” pode ter dificuldades para confirmar seu favoritismo. O time pode ter chegado ao seu terceiro desfalque a menos de cinco dias da abertura oficial dos Jogos — e a exatamente seis da estreia, marcada para domingo (25), contra a França.

O nome da vez é Zach LaVine, que na NBA atua pelo Chicago Bulls. O ala-armador entrou nesta segunda-feira (19) no protocolo de prevenção e controle da Covid-19 por parte da delegação olímpica dos Estados Unidos, que consiste basicamente em isolamento de pelo menos cinco dias e testagens diárias, e não viajou com a equipe para Tóquio.

Comandado por Gregg Poppovich, também treinador do San Antonio Spurs, o basquete dos EUA ainda espera contar com LaVine na Olimpíada, o que pode acontecer se o jogador conseguir embarcar para o Japão antes do fim da semana. A partida contra os franceses está marcada para as 9h da manhã no horário de Brasília.

Se, no entanto, for confirmada a ausência do astro do Chicago Bulls, o “Dream Team” pode chegar ao seu terceiro desfalque em poucos dias. Antes, na sexta-feira (16), a equipe confirmou o corte de Bradley Beal, armador do Washington Wizards, e o afastamento de Jerami Grant, ala-pivô do Detroit Pistons, que vive situação parecida com a de LaVine.

LEIA MAIS

Olimpíada de Tóquio: especialista diz que número de casos de Covid-19 está dentro do esperado

Olimpíada de Tóquio: com Covid, pivô de basquete dos EUA está fora dos Jogos

Olimpíada de Tóquio: Voo com pranchas atrasa e surfistas ficam sem ter como treinar

Olimpíada de Tóquio: após doping, Brasil tira atleta de lista da disputa