Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Balanço taekwondo: Brasil tem 100% de aproveitamento com medalhas

Na estreia da modalidade em Paralimpíadas, o país conquistou três medalhas com seus três paratletas e terminou em primeiro lugar em Tóquio 2020

Marjoriê Cristine
Colaborador do Torcedores

Crédito: Rogerio Capela / CPB

Na estreia do taekwondo como nos Jogos Paralímpicos, o topo do pódio geral foi do Brasil. Com um ouro, uma prata e um bronze, o país saiu com 100% de aproveitamento dos seus atletas de Tóquio 2020. O destaque foi para Nathan Torquato, o único ouro nas Paralimpíadas.

+Brasil no top 10 do quadro de medalhas nas Paralimpíadas de Tóquio 2020

Com os três pódios, o Brasil terminou como o primeiro no quadro interno do taekwondo. O segundo lugar ficou com o Irã, com um ouro e uma prata.

“Saímos daqui como a potência número 1 do mundo. Já éramos a principal potência das Américas. Agora, somos mundialmente reconhecidos. Não poderíamos estar mais felizes”, afirmou Débora Menezes, última a entrar no tatame do Makuhari Messe Hall.

+Paralimpíadas: Atletismo é o esporte que deu mais medalhas ao Brasil

Débora com a prata conquistada em Tóquio: 100% de aproveitamento de pódios do taekwondo brasileiro.

Torquato faz história

Paulista de Praia Grande, Nathan Torquato foi o primeiro a subir no tatame de Tóquio 2020. Logo na estreia, o brasileiro ganhou o primeiro ouro da história do esporte em Paralimpíadas. Foi na categoria até 61kg, na classe K44 (má-formação ou amputação unilateral nos membros superiores).

+Paralimpíadas: natação faz campanha histórica, e Carol Santiago brilha

No dia seguinte, Silvana Fernandes também conquistou um pódio. Foi na categoria até 58kg, também na classe K44, que a paraibana, de 22 anos, ganhou seu bronze.

No penúltimo dia de competições em Tóquio, Débora Bezerra fez bonito e quase ganhou o ouro na categoria acima de 58kg. A paulistana, de 31 anos, ficou com a prata.

Leia também:

Balanço do halterofilismo: ouro inédito com Mariana D’Andrea em Tóquio

Balanço ciclismo: 4º lugar de Lauro Chaman é a melhor posição do Brasil