Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Brasileirão: Veja 10 contratações aleatórias que entraram para a história

Nem sempre os clubes acertam nas contratações

Matheus Camargo
Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina (UEL), colaborador do Torcedores.com desde 2016, radialista na Paiquerê 91,7.

Crédito: Lateral dos Estados Unidos chegou ao Vasco e pouco jogou(Divulgação)

Os clubes do Brasileirão constantemente vão ao mercado para reforçarem seus elencos. Porém, nem sempre as buscas são acertadas e algumas contratações aleatórias acabam marcadas para sempre. Veja 10 contratações aleatórias de times do Brasileirão:

Adriano Chuva – Palmeiras
O atacante chegou ao Palmeiras em 2004 após passagem, entre outros clubes pelo Grêmio. Fez 16 jogos, não marcou gols e entrou para o folclore.

Alcindo – Corinthians
Revelado pelo Flamengo, o atacante ficou por cinco temporadas no Japão e foi repatriado pelo Corinthians em 1997. Foi o símbolo do time que quase foi rebaixado no Brasileirão

Amaral – Atlético-MG
Já no final da carreira, fez parte da “Selegalo”, um time do Atlético-MG chegou de estrelas formado em 2005. Já vinha em má fase do Vitória. No fim? O time foi rebaixado para a Série B.

Assis – Corinthians
Irmão de Ronaldinho, o então atleta chegou ao Corinthians vindo do futebol francês acima do peso. Fez apenas um jogo pelo clube em 2000.

Bandoch – Fluminense
Zagueiro muito criticado no Botafogo, foi contratado pelo Fluminense em 2000, sem grandes explicações. Ficou pouco tempo.

Cobi Jones – Vasco
O lateral titular da seleção dos Estados Unidos foi contratado com pompa pelo Vasco em 1995. Porém, pouco jogou pelo clube e voltou a seu país.

Luis Miguel Escalada – Botafogo
O então jovem atacante chegou ao Botafogo em 2007, já acima do peso, e se tornou piada imediata. Pouco jogou.

Gustavo Papa – Internacional
O atacante, com passagens pelo interior do Rio Grande do Sul, chegou ao Internacional no fim de 2004 vindo da Ulbra. Fez parte do elenco vice-campeão brasileiro de 2005, mas pouco fez e é mais lembrado pelo nome curioso.

Jardel – Palmeiras
Em fim de carreira e fora de forma, Jardel fechou com o Palmeiras em 2004 de maneira surpreendente. Sequer entrou em campo e ficou três meses no clube.

Jorge Preá – Palmeiras
De apelido curioso, foi contratado junto ao Pelotas em 2008 para ter a chance de sua vida no clube. Disputou três jogos e passou a rodar por empréstimos. Ficou ligado ao Palmeiras por mais três anos.

Leia também:

Narrador perde a paciência com Tite e quer mudança urgente na Seleção

Brasil tem desfalque importante para clássico contra a Argentina

Com vitória, Brasil de Tite alcança marca histórica nas Eliminatórias

Sem Hulk e Willian, seleção dos mais valiosos da Série A é dominada pelo Palmeiras

As melhores notícias de esportes, direto para você