Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Técnicos estrangeiros são solução? Confira o desempenho dos profissionais que trabalharam no futebol brasileiro nos últimos anos

Entre os anos de 2020 e 2021, 18 técnicos de fora do país trabalharam em clubes que disputam ou disputaram a Série A do Brasileirão

Flavio Souza
Formado em Gestão de Ti e cursando Jornalismo.Desde 2006 escrevo sobre esportes em geral, ingressando em dezembro de 2018 no site Torcedores.com, onde atualmente exerço função de Colaborador Sênior.Atualmente meu foco é no futebol brasileiro e internacional, mas procuro falar sobre outras modalidades, como esportes olímpicos, por exemplo.Meu foco é trazer informações relevantes sobre os clubes fora de campo, como entrevistas, análises financeiras, desempenho das equipes em redes sociais e análises táticas.

Crédito: Reprodução / Alexandre Vidal / Flamengo / Cesar Greco / Palmeiras

Nos últimos anos, sempre que um técnico é demitido no Brasil, muitos torcedores pedem para que seu time procure técnicos estrangeiros. Jorge Jesus e Abel Ferreira são exemplos de sucesso. Mas isso não quer dizer que optar por um profissional que não seja brasileiro seja sinônimo de sucesso.

Pelo contrário, os números mostram que os dois técnicos acima são exceções à regra. Os dois venceram seis títulos nos anos citado. Já dos demais treinadores, apenas Crespo, Vojvoda e Sampaoli conseguiram vencer campeonatos estaduais.

Confira quais os técnicos estrangeiros que trabalharam no Brasil em 2020 / 21

A lista contempla 18 treinadores e considera apenas os títulos conquistados entre os anos citados. Dessa forma, não aparecem os títulos de Jorge Jesus pelo Flamengo em 2019 (Libertadores e Brasileirão).

Em negrito, os técnicos estrangeiros que conseguiram ao menos um título no Brasil:

  • Abel Ferreira – Palmeiras – 13 meses – Libertadores (2x) e Copa do Brasil
  • Antonio Oliveira – Athletico Paranaense – 6 meses
  • Ariel Holan – Santos – 2 meses
  • Diego Aguirre – Internacional – 6 meses
  • Diego Dabove – Bahia – 2 meses
  • Domenec Torrent – Flamengo – 3 meses
  • Eduardo Coudet – Internacional – 11 meses
  • Gustavo Florentín – Sport – 4 meses
  • Gustavo Morínigo – Coritiba – 12 meses
  • Hernán Crespo – São Paulo – 8 meses – Campeonato Paulista
  • Jesualdo Ferreira – Santos – 8 meses
  • Jorge Jesus – Flamengo – 7 meses – Recopa Sul-Americana, Supercopa do Brasil e Campeonato Carioca
  • Jorge Sampaoli – Atlético-MG – 11 meses – Campeonato Mineiro
  • Juan Pablo Vojvoda – Fortaleza – 7 meses – Campeonato Cearense
  • Miguel Angel Ramirez – Internacional – 3 meses
  • Rafael Dudamel – Atlético-MG – 2 meses
  • Ramón Diaz – Botafogo – 1 mês
  • Ricardo Sá – Vasco – 2 meses

Mais informações sobre os técnicos estrangeiros

A lista acima deixa claro que não basta ‘falar outro idioma’ para ter sucesso no futebol brasileiro. Mas chama atenção o fato que as três últimas edições da Copa Libertadores da América foram vencidas por treinadores portugueses, com Jorge Jesus em 2019 e Abel Ferreira sendo bicampeão da competição.

LEIA TAMBÉM:

Comentaristas da ESPN vão às lágrimas com título do Atlético-MG; assista
Neymar relata momento tenso após bronca do pai: “A gente meio que saiu na porrada”
Irmão de jogador do Grêmio é preso por tentativa de estupro em Porto Alegre
Mbappé perto do Real Madrid, Mina no Milan e mais: Veja as movimentações do mercado da bola na Europa nesta sexta (3)
Ferran Torres? Cavani? Veja quem pode chegar no Barcelona em 2022
Jorge Jesus já revelou a dirigentes o que faria voltar como técnico do Flamengo
Mercado da Bola: 10 técnicos medalhões que estão livres para 2022