Torcedores – Notícias Esportivas

Fórmula 1: Toto Wolff avalia que seis equipes podem ser campeãs

Chefão da Mercedes afirmou que o torneio vai ser mais equilibrado nas próximas temporadas

Octávio Almeida Jr
Jornalista graduado pela Universidade da Amazônia (UNAMA), 29 anos.Repórter de campo pela Rádio Unama FM em duas finais de Campeonato Paraense (anos 2016 e 2017). Repórter no site Torcedores.com desde 2018.

Crédito: Steve Etherington/Mercedes

A disputa pelo título da Fórmula 1, na última temporada, ficou polarizada. O atual campeão, Max Verstappen, e Lewis Hamilton dominaram as primeiras posições do começo ao fim.

Além disso, a Mercedes estabeleceu um novo recorde na categoria, ao conquistar o campeonato de construtores pelo oitavo ano consecutivo.

Em meio a todo esse contexto, o campeonato de automobilismo vai passar por alterações, tanto no regulamento como na estrutura dos veículos.

As mudanças vão tornar o campeonato mais equilibrado, conforme opinou o chefe da Mercedes, Toto Wolff, em entrevista ao site GPFans.

“O campeonato ficou dominado entre Red Bull, Ferrari e nós. Agora, tudo ficará mais equilibrado. Acredito que vamos ter cinco ou seis times capazes de ser campeões no futuro. Isso é bom para o esporte”, iniciou.

Para sustentar a avaliação, o dirigente citou a final da NFL, o campeonato de futebol americano organizado pela liga dos Estados Unidos. “Não é sempre que um mesmo time ganha o Super Bowl”, acrescenta.

Toto Wolff projeta temporada 2022 da Fórmula 1

A organização do torneio definiu que as escuderias podem, no máximo, investir até 140 milhões de dólares. O teto de gastos cai para 135 milhões de dólares, em 2023.

Toto Wolff afirma que isso “vai colocar as coisas no lugar”. No entanto, também alertou: “se alguém encontrar uma brecha, todo mundo vai tentar fugir”, declarou.

Siga o Torcedores no Facebook para acompanhar as melhores notícias de futebol, games e outros esportes

Em relação aos carros, o dirigente destacou: “vão ser muito parecidos. Pode haver diferenças no primeiro ano. Mas depois disso, tudo ficará equilibrado. A diferença para os times secundários vai diminuir”, finalizou.

Leia mais:

Fórmula 1: Vettel destaca Alonso, fala sobre Aston Martin e projeta 2022

Alain Prost pensou em concorrer por cargo importante da Fórmula 1

Fórmula 1: Bottas fala sobre rivalidade com Hamilton e Mercedes

Fórmula 1: ex-piloto cita atitude “inaceitável” de Toto Wolff