Major League Baseball pensa em mudar mandos de campo dos primeiros dias de jogos por conta do coronavírus

Pandemia mundial pode forçar a Major League Baseball (MLB) a pensar em alternativas para fugir de áreas muito afastadas pelo COVID-19

Willian Ferreira
Colaborador do Torcedores.com e contador de histórias do esporte.

Crédito: Twitter/Reprodução

Mais uma liga esportiva de relevância mundial manifestou preocupação com o avanço do coronavírus mundo afora. Agora, é a vez da Major League Baseball (MLB), de acordo com a Associated Press (AP), preparar mudanças preventivas para impedir quaisquer problemas para atletas e profissionais em questão. No caso, a alternativa pensada está em trocar sedes de determinadas franquias.

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

Enquanto grandes ligas europeias estão disputando partidas sem a presença de torcedores, torneios nos Estados Unidos optam por outras saídas. Para isso, a MLB pensa em inverter os mandos das primeiras partidas caso elas aconteçam em regiões muito afetadas pelo coronavírus. De acordo com a AP, Rob Manfred, comissão da instituição que cuida da principal competição de baseball dos EUA, sinalizou com a proposta.

Duas franquias teriam mudanças significativas. O Mariners sairia de Seattle para estrear em Arlington, cidade do Texas, contra o Rangers. Já o Dodgers teria que sair de Los Angeles para ir para a também texana San Francisco, onde jogaria com o Giants.

Mais da MLB

Nos últimos anos, a Major League Baseball voltou a ter um caso de morte dentro de um estádio.

Mais do coronavírus

O COVID-19 pode obrigar a MotoGP a realizar provas duplas para compensar grandes prêmios cancelados por conta do coronavírus. A Itália, dos países mais atingidos pelo vírus, busca alegrias na Ferrari. O Barcelona também anunciou medidas de prevenção.

LEIA MAIS
Jogador de hóquei bate cabeça em muro de proteção e técnico faz massagem cardíaca para reanimá-lo
NFL Brasil homenageia Dia dos Professores com vídeo sobre técnicos no Twitter
Michael Jordan doa US$ 2 milhões para vítimas do furacão Florence