Vice do Atlético-MG exalta projeto da Arena MRV e cutuca Corinthians

Investidores do Atlético acreditam em uma receita superior aos 100 milhões com o estádio

Eder Bahúte
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Divulgacao

O Atlético-MG projeta ter um alto faturamento após a construção da Arena MRV. A futura casa do Galo, que deve ficar pronta entre 2022 e 2023, proporcionará uma receita que será fundamental para manter o clube no verde e investir em contratações de peso.

Conheça a 1xBet:

Um novo jeito de fazer sua aposta esportiva!

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

Diferentemente dos demais estádios, principalmente aqueles construídos para a Copa do Mundo de 2014, o Atlético não terá dívidas ao término das obras. Pelo contrário, terá um lugar altamente rentável para os cofres do time mineiro.

“No projeto do estádio, a MRV adquiriu os naming rights por 60 milhões. Por exemplo, o Corinthians não conseguiu vender. O Atlético vendeu por 60 milhões por 15 anos e isso irá ajudar a construir nosso estádio. O Rubens Menin doou o terreno, preço mais ou menos 60 milhões. E aí nós conseguimos a receita da venda de 50,01% do Diamond Mall e que nos garante todos os recursos para a construção da Arena”, diz Lásaro Cândido da Cunha, vice presidente do Galo à ESPN Brasil.

Você pode ganhar uma camisa comemorativa exclusiva! Abra a sua conta meu BMG Galo!

“É bom que se esclareça, o Atlético tem uma situação absolutamente singular. Nós teremos um estádio quitado, porque tem gente aí que deve o estádio. O nosso estará quitado, pois conseguiremos oferecer em torno de em torno de 15 mil ingressos social, iremos retornar aquele torcedor que não tem condição de pagar. Nestas arenas novas, o torcedor que não tem capacidade econômica foi expulso. A verdade é essa”, concluiu.

 

LEIA MAIS: