Cristiane, Melanie Behringere e mais: Todas as artilheiras dos Jogos Olímpicos

Quem será a artilheira nas Olimpíadas de Tóquio 2020?

Beatriz Paparazo
Jornalista formada pela Anhembi Morumbi em 2018 e Editora no Torcedores.com desde maio de 2019 Contato: beatriz.araujo@navve.com

Crédito: Elsa/Getty Images

A abertura dos Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 acontece no próximo dia 23, mas, já no dia 21, as seleções femininas de futebol entram em campo em busca da tão sonhada medalha de ouro.

Conheça a 1xBet:

Um novo jeito de fazer sua aposta esportiva!

O futebol feminino começou a ser disputado nos Jogos Olímpicos em 1996, nas Olimpíadas de Atlanta. Desde então, essa será a sétima participação da modalidade e a Formiga, volante brasileira, garantiu a presença em todas.

Duas vezes artilheira das Olimpíadas, Cristiane não foi convocada para os Jogos de Tóquio. A atleta não escondeu a chateação pela audiência e desabafou nas redes sociais: “Toda atleta profissional busca a Seleção. E esse seria minha última Olimpíada, pra fechar um ciclo como a maior artilheira de todos os tempos na modalidade- no feminino e masculino. São 14 gols, é bastante coisa”.

Confira todas as artilheiras das Olimpíadas

Atlanta 1996

Ann Kristin Aarones – Noruega – 4 gols

Linda Medalen – Noruega – 4 gols

Pretinha – Brasil – 4 gols

Sydney 2000

Sue Wen – China – 4 gols

Atenas 2004

Birgit Prinz – Alemanha – 5 gols

Cristiane – Brasil – 5 gols 

Pequim 2008

Cristiane – Brasil – 6 gols 

Rio 2016

Melanie Behringer – Alemanha – 5 gols

A seleção que mais vezes balançou as redes nas Olimpíadas foi a dos Estados Unidos, com 64 gols marcados. Seguida pela seleção do Brasil, com 53 e a da Alemanha fechando o top-3 com 49 gols.

Grupos das Olimpíadas de Tóquio de futebol feminino

Grupo E: Japão, Canadá, Grã-Bretanha e Chile.

Grupo F: China, Brasil, Zâmbia e Holanda.

Grupo G: Suécia, Estados Unidos, Austrália e Nova Zelândia

Leia mais:

Confira as seleções com maiores chances de medalha de ouro no futebol feminino
Olimpíadas de Tóquio: Atletas da seleção de futebol ganham avatares inspirados em desenhos japoneses
Letícia Izidoro celebra evolução tática do futebol brasileiro: “Importante para atletas que sonham em jogar fora do país”
Andressa Alves acredita que seleção precisa melhorar ofensivamente: “ser mais criativa, mais dribladora”