Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Narrador da Globo diz que seleção brasileira é feita de coadjuvantes e “vai continuar sofrendo” com europeus

Comunicador não perdoou a atuação geração do futebol brasileiro

Matheus Camargo
Jornalista formado pela Universidade Estadual de Londrina (UEL), colaborador do Torcedores.com desde 2016, radialista na Paiquerê 91,7.

Crédito: Lucas Figueiredo/CBF

A seleção brasileira não tem um protagonista para dividir com Neymar a responsabilidade pela equipe treinada por Tite. Ao menos essa é a opinião do narrador Milton Leite em participação no podcast Hoje Sim, do Globoesporte.com.

O narrador do Grupo Globo disse que o Brasil tem apenas coadjuvantes pelo mundo.

“Acho que o Brasil hoje tem uma dificuldade contra elencos europeus porque o Brasil é formado por coadjuvantes, sobretudo na criação e no ataque, excetoo Neymar, nosso único craque. O Brasil não tem jogadores entre as principais estrelas do mundo. Você pega as últimas convocações, o Gabriel Jesus joga no City, mas não é o cara, não joga todos os jogos, não é a última bola. O Everton tem o Richarlison, mas o Everton é um time mediano na Inglaterra, pequeno na Europa, é o sétimo da Premier League. O Arthur Cabral joga no Basel, terceiro escalão da Europa. Mesma coisa para o Lucas Paquetá, que joga no Lyon. O futebol francês, tirando o PSG, é segundo escalão.  O Raphinha no Leeds, que está na 17ª posição da Premier League. Ou eles são coadjuvantes ou jogam em times coadjuvantes”, disse Milton Leite, que prontamente seguiu dizendo que a seleção vai continuar sofrendo.

“Acho que o Brasil, nos últimos dez anos, em confrontos de Copa do Mundo, nos embates mais importantes, tem sofrido muito e vai continuar sofrendo. Há quanto tempo o Brasil não é candidato a melhor do mundo? Ganhávamos sempre. Dependendo da temporada do Neymar, não temos nenhum jogador indicado.”

Leia também: