Torcedores – Notícias Esportivas

Acusado de furto, jornalista demitido da Globo denuncia ex-chefe por racismo

O jornalista Hildazio Santana trabalhou por quase 20 anos na afiliada da Globo

Dayvidson Soares
Apaixonado por futebol e boas histórias.

Crédito: reprodução

A Rede Bahia, afiliada da Globo em Salvador, demitiu o jornalista Hildazio Santana Gonçalves, que era coordenador do núcleo de Esporte, após ele ser acusado de furto. O profissional negou o que tenha cometido o crime e denunciou seu ex-chefe no Ministério Público por racismo.

A acusação de racismo ocorreu após o jornalista trocar uma maquina de fazer café de sala na emissora, na última semana.

Em entrevista ao site Notícias da TV, o jornalista contou que combinou de tomar café feito em máquina de cápsulas com dois companheiros de trabalho o editor de texto Pedro Thomé e ao repórter Gustavo Castellucci.

“Mas não tinha máquina disso na Redação, apenas na sala de reunião. No fim da tarde, já era umas sete da noite, eu passei pela sala de reunião e lembrei do café, então eu entrei e tava tudo apagado. Como são doze botões pra acender a luz [da sala] e era coisa rápida, eu só usei a lanterna do meu celular, peguei a cafeteira e saí”, começo a explicar o jornalista demitido, em entrevista ao site Notícias da TV, e seguiu:

“Só que na saída da sala tem duas câmeras, na escada tem outra, tem câmera pra todo lado, eu levei a cafeteira na mão, não coloquei em sacola, não escondi dentro da roupa, só transportei ela até o Esporte. No outro dia eu esqueci de devolver a máquina para a sala de reunião porque eu tive várias reuniões em sequência, de projetos, com direção, etc.”, continuou Hildazio Santana.

“Ou seja, o dia todo fora da sala. Tempo depois o diretor me chamou e pediu pra falar com ele em particular. Na sala de reunião, a gerente de Jornalismo [Ana] já estava lá. Eles explicaram que a empresa da marca da cafeteira deu falta de uma máquina, que acionaram a segurança e que me viram entrar ‘furtivamente’ na sala de reuniões e subtraindo a cafeteira”, disse o profissional.

“Mas ele mesmo se ‘corrigiu’, disse que me viram furtando mesmo, porque quem entra de maneira furtiva tá furtando. Eu parei a conversa e pedi respeito, lembrei Eurico que eu tenho valores e princípios e que eu tinha cargo de confiança, um de seus braços, mas ele quis me demitir por justa causa ou queria que eu mesmo pedisse demissão”, revelou o jornalista.

O profissional denunciado por Hildazio Santana de racismo é Eurico Meira da Costa, que é diretor de jornalismo da Rede Bahia. O jornalista, que trabalhou por quase 20 anos na emissora, foi chamado para conversar com seus superiores no último dia 19. quem também participou da reunião foi Ana Raquel Copetti, que é chefona do jornalismo na afiliada.

Após a demissão da afiliada da Globo, o jornalista Hildazio Santana fez um desabado em publicação nas redes sociais.

“Nunca pensei que em quase 20 anos na Tv Bahia, eu iria viver um ato tão cruel por uma pessoa que estava alí para me apoiar. Uma pessoa que deveria ser exemplo no orientar, falar e no cuidar. O racismo é silencioso e desumano”, escreveu o jornalista.

LEIA TAMBÉM:

Paulinho responde Corinthians e decide onde vai jogar em 2022

Flamengo: Renato Gaúcho estava disposto a sair, mas dirigentes recusaram demissão