Home Futebol Palmeiras: Leila Pereira já ‘investiu’ mais de R$ 100 milhões em reforços como patrocinadora, mas sempre pregou ‘responsabilidade’

Palmeiras: Leila Pereira já ‘investiu’ mais de R$ 100 milhões em reforços como patrocinadora, mas sempre pregou ‘responsabilidade’

Demora para a contratação de um ‘camisa 9’ para a disputa do Mundial de Clubes está deixando a torcida do Palmeiras impaciente

Danielle Barbosa
Jornalista. Escrevendo para o Torcedores desde 2014.

A torcida do Palmeiras está impaciente à espera de reforços de peso para a temporada de 2022, mesmo tendo um elenco que é o atual bicampeão da Copa Libertadores. A posição mais carente e desejada é a de centroavante, que também tem sido cobrado pelo técnico Abel Ferreira desde o início da última temporada, mas sem sucesso, apesar da chegada de Rafael Navarro, destaque do Botafogo na Série B. E a presidente Leila Pereira não deu indícios de que fará qualquer coisa para atender aos pedidos dos torcedores.

PUBLICIDADE

Durante live realizada na TV Palmeiras, respondendo perguntas de torcedores, a nova presidente do Verdão deixou claro que não irá ‘sacrificar’ as finanças do clube por causa de reforços. “Estamos sempre em busca de bons profissionais, os melhores, mas tratamos o assunto com responsabilidade financeira. E os valores são inviáveis para a realidade brasileira. Não vou sacrificar o Palmeiras para pagar um valor incompatível com a realidade brasileira. Quando digo isso não é que não vou investir, vou investir, sempre. Não acredito no bom e barato, vocês lembram desta frase e o que aconteceu no passado? Não acredito, futebol é investimento alto. Temos de ser os mais assertivos possíveis. E vou tentar isso de forma correta e responsável”, explicou a mandatária.

A entrevista da empresária caiu como um balde de água fria na parte da torcida que esperava por reforços de peso, ainda mais porque a própria Leila Pereira já chegou a ‘investir’ bem mais de R$ 100 milhões em contratações para o Verdão entre 2016 e 2017, quando ajudou o clube a bancar nomes como Borja (R$ 33 milhões), Deyverson (R$ 19 milhões), Bruno Henrique (R$ 14 milhões), Luan (R$ 12 milhões), Dudu (R$ 11, 5 milhões) e Alejandro Guerra (R$ 11 milhões).

PUBLICIDADE

Os investimentos da Crefisa em reforços para o Palmeiras cessaram em 2018, quando a empresa de Leila Pereira foi multa pela Receita Federal, que considerou o modelo do negócio equivalente a um empréstimo e pediu uma alteração que obriga o Verdão a devolver os valores investidos nas contratações de qualquer forma em até dois anos após o fim do contrato, inclusive com a incidência de juros no valor.

[DUGOUT dugout_id=”eyJrZXkiOiJlb3Vyc0hVRSIsInAiOiJ0b3JjZWRvcmVzIiwicGwiOiIifQ==”]

“Com relação às dívidas, esse tema já foi amplamente discutido e aprovado pelo Conselho Deliberativo do clube. O Palmeiras tem totais condições de cumprir com esses compromissos. Vai cumprir, não tenho dúvida alguma. O investimento que foi feito girou em torno de R$ 160 milhões, não tenho de cabeça o número exato. Uma parte dessa dívida já foi paga, porque ela é garantida pelos ativos, que são os jogadores. À medida que os jogadores são vendidos ou há qualquer receita relacionada a esses jogadores, o Palmeiras tem que restituir a Crefisa. O Palmeiras tem pago, essa dívida tem diminuído. Se o contrato desses jogadores com o clube vencer, o Palmeiras tem dois anos de prazo para restituir esse valor à Crefisa”, explicou Leila em uma entrevista concedida à rádio Capital, no final do ano passado.

Responsabilidade sempre existiu…

Mesmo com o investimento – que depois virou dívida para o Palmeiras – em torno de R$ 160 milhões, Leila Pereira já havia falado sobre a necessidade de se ter ‘responsabilidade’ na hora de contratar. Em uma entrevista concedida ao UOL Esporte, em março de 2017, a empresária garantiu ter um limite de gastos.

PUBLICIDADE

— O céu não é o limite. Claro que não. Temos responsabilidade. Nossa empresa está há 52 anos no mercado e somos extremamente conservadores. Tem que ter um limite. Não é chegar aqui, bater na porta e dizer: ‘Preciso disso…’. Tudo é conversado com muito critério e responsabilidade. É tudo dentro das possibilidades – explicou.

— O atual presidente [Mauricio Galiotte] entende perfeitamente. Ele é muito pé no chão. Já teve vezes em que tivemos de dizer não. Quando um jogador é negociado por um valor inviável, eu digo que não tem como. Aconteceu várias vezes. Quando o Palmeiras entra para negociar tem um teto, sim. Não é qualquer valor que a gente paga. Em hipótese alguma – completou a empresária.

Leia também:
Consulta do Palmeiras por Kaio Jorge, ex-Santos, não avança; veja o motivo
Volante do Palmeiras ‘trabalha nos bastidores’ e revela tentativa de ajudar em negociação por Yuri Alberto
Torcedor ‘convida’ Castellanos para jogar no Palmeiras e atacante argentino responde mensagem no Instagram
Palmeiras anuncia contratação de Atuesta, primeiro reforço para 2022; veja os detalhes
Felipe Melo diz que poderia ter renovado por um ano e ironiza ‘presente’ após título da Libertadores
Negócio impossível? Veja o que o Verdão pensa sobre contratar Pedro
Palmeiras ganha concorrência de peso por Agustín Alvarez e Matías Arezo
Jailson se manifesta após ter saída oficializada do Palmeiras
‘Monitorado’ pelo Palmeiras, Coutinho entra em barca do Barcelona após queda na Champions League
Felipe Melo revela que tentou contratar atacantes do Atlético-MG para o Palmeiras: “Eu briguei para levar o Hulk”

Siga o Torcedores no Facebook para acompanhar as melhores notícias de futebol, games e outros esportes