História do clube

Grêmio: Legado e Conquistas

Sempre que escuto alguém mencionar a história do Grêmio, sou tomado por um sentimento de orgulho. A trajetória desse clube gaúcho é mais do que uma simples sequência de eventos. Ela representa um legado recheado de conquistas que inegavelmente moldam o futebol brasileiro. Desde sua fundação em 1903, o Grêmio construiu uma reputação de força e determinação, ganhando o apelido de Imortal. Ao longo dos anos, as vitórias acumuladas — sejam elas no âmbito estadual, nacional ou internacional — contam histórias de superação e êxito. Cada troféu tem seu lugar especial na memória dos torcedores, marcando momentos inesquecíveis onde a paixão pelo futebol transcende o esporte e se entrelaça com nossas próprias vidas. Eu já comemorei cada gol e cada título como se fosse um feito meu também, porque é isso que significa ser parte da nação tricolor.

Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense: primeiros passos

O ano era 1903, e a cidade de Porto Alegre fervilhava com os rumores do novo esporte trazido pelos ingleses e alemães. A partida de demonstração havia começado há pouco. Entremeio à multidão, vi a bola dos bretões esvaziar e o paulista Cândido da Silva emprestar sua própria bola. Em troca, lições de como jogar o jogo e mais importante ainda, como fundar seu clube. No início, enfrentamos diversos obstáculos, com recursos limitados e uma estrutura bem mais modesta do que hoje. Mas já naquela época, a garra e determinação estavam presentes. Os fundadores não mediram esforços para organizar partidas e treinos, mesmo tendo que improvisar em campos pouco adequados para a prática do esporte. As primeiras competições foram verdadeiras aventuras; cada jogo era uma prova de resistência e paixão pelo futebol. Lembro das histórias sobre as viagens longas para jogar contra outras equipes – muitas vezes em condições adversas – mas sempre com o coração repleto de esperança.  O Grêmio pavimentou seu caminho pelos diversos campeonatos que foram surgindo ao seu alcance: Citadinos, Gaúchos, Brasileiros e depois Continentais e Internacionais. Um clube que de nascença almejava o sucesso e as conquistas. E foi essa vontade que pavimentou o caminho para as vitórias futuras. Mesmo sem toda a infraestrutura dos clubes modernos, aquele grupo pioneiro colocou em campo algo muito valioso: o sentimento genuíno pelo time e pela comunidade tricolor. Foi esse espírito inicial que definiu quem somos hoje: um clube resiliente que supera desafios desde os primeiros passos até conquistas grandiosas no cenário nacional e internacional.

Imortal Grêmio: identidade e glórias eternas

Minha experiência com o Grêmio sempre esteve atrelada à sua identidade de "Imortal", uma alcunha que nos foi dada não por acaso. Essa denominação nasceu das inúmeras vezes em que o time reverteu situações adversas, transformando-as em vitórias épicas. Para mim, ser parte do Imortal significa nunca desistir, mesmo quando as chances parecem escassas. As glórias eternas são muitas e cada uma delas tem um sabor único de superação:
  • Libertadores da América: A conquista da Libertadores é talvez a mais emblemática, mostrando ao continente a força do futebol gaúcho. Cada título (1983, 1995 e 2017) foi como um grito de resistência que ecoou pelo Brasil, vindo após épocas tensas na história gremista.
  • Campeonato Brasileiro: Os campeonatos nacionais (1981 e 1996) também foram momentos marcantes. Ver o Grêmio no topo do Brasil é algo que me enche de orgulho.
  • Copa do Brasil: As cinco taças (1989, 1994, 1997, 2001 e 2016) refletem nossa consistência ao longo dos anos. Eu lembro de cada partida tensa que culminou naqueles triunfos emocionantes, em uma competição que sacramentou o epíteto de “Copeiro”.
  • Recopa Sul-Americana: Vencer competições internacionais como a Recopa é uma prova da nossa grandeza além-fronteiras. Em 1996 e novamente em 2018 eu vi nosso time brilhar contra os melhores da América.
  • Mundial Interclubes: O título mundial de 1983 foi surreal – bater o Hamburgo e se consagrar campeão mundial me fez sentir como se estivéssemos no topo do mundo.
Esses momentos são gravados na memória coletiva tricolor. São capítulos vibrantes da história imortal gremista que atravessam gerações. Cada jogo decisivo vivido intensamente faz dessa jornada algo indescritível; é uma montanha-russa emocional onde cada descida vertiginosa sempre parece preceder uma ascensão gloriosa ainda maior. A sensação desses triunfos? Inexplicável. É como se cada célula tricolor dentro de mim vibrasse numa frequência única – aquela frequência mágica onde só quem viveu entende verdadeiramente o significado de ser Grêmio.

Conquistas do Grêmio: A Era Dourada Nacional e Internacional

Refletindo sobre a era de ouro das conquistas nacionais e internacionais do Grêmio, lembro-me da sensação inigualável que cada título trouxe. Esses momentos não foram apenas vitórias; eles entraram para a história como marcos de uma trajetória gloriosa, solidificando o nome do Tricolor entre os grandes clubes do mundo. A década de 80 foi um período mágico com o ápice sendo a conquista do Mundial Interclubes em 1983. Mas não parou por aí, outros triunfos marcantes vieram ao longo dos anos seguintes. No plano nacional, fomos bicampeões da Copa do Brasil na década de 90, mostrando que nossa grandeza se mantinha firme ano após ano. Internacionalmente, as vitórias na Libertadores nos anos de 1983 e 1995 são lembranças que me fazem transbordar em emoção até hoje. E quem poderia esquecer o mais recente feito internacional com a terceira Libertadores conquistada em 2017?

Aqui está uma linha do tempo simplificada dessas glórias:

Ano

Conquista

1981

Campeonato Brasileiro

1983 1989 1994

Libertadores da América / Mundial Interclubes

Copa do Brasil

Copa do Brasil

1995

Libertadores da América

1996 1997

Recopa Sul-Americana / Campeonato Brasileiro

Copa do Brasil

2001

Copa do Brasil

2016

Copa do Brasil / Campeonato Brasileiro

2017

Libertadores da América

Cada data desta tabela representa um capítulo vivido com intensidade e paixão. Foi numa combinação de estratégia astuta e corações valentes que levamos para casa essas taças tão desejadas. Vivenciar essa época dourada como torcedor foi testemunhar uma série ininterrupta de realizações extraordinárias que fortaleceram nossa identidade tricolor. Estar alinhado com essa fase vitoriosa é carregar no peito um sentimento único de pertencimento e orgulho imensurável pelo Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense.

Grêmio no Século XXI

Ao entrar no século XXI, me deparei com um Grêmio enfrentando desafios que pareciam testar a nossa alcunha de "Imortal". A queda para a segunda divisão em 2004 foi um golpe duro, mas também um ponto de virada.  Se houve um momento para testar a alcunha centenária, o jogo nos Aflitos definitivamente a sacramentou. A vitória com o time em frangalhos, a beira da derrota por não ter atletas em campo e atacado por torcedores, funcionários e policiamento do estádio foi a prova de que verdadeiramente o Grêmio era mais do que um grande clube; era Imortal. Reestruturamos o clube de dentro para fora, focando na formação de jogadores na base. Foi incrível ver talentos como Lucas Leiva e Anderson surgirem e brilharem primeiro aqui antes de se tornarem estrelas internacionais. Esse investimento nas categorias de base provou ser não só uma solução econômica inteligente mas também uma fonte rica em talentos. Na questão administrativa, inovamos ao adotar práticas modernas de gestão esportiva. Isso nos ajudou a equilibrar as finanças e projetar um futuro mais sustentável. E quanto às instalações? Bem, em 2012 celebramos a inauguração da Arena do Grêmio. Em campo, os resultados dessa transformação logo apareceram. Retornamos à elite do futebol brasileiro com energia renovada e conquistamos títulos importantes, como o Campeonato Brasileiro e a Copa do Brasil novamente. Cada vitória era como afirmar: estamos aqui para ficar! Enfrentando cada obstáculo com determinação gremista autêntica – seja rebaixamento ou crises financeiras – nunca deixei de acreditar no potencial do meu amado clube. As inovações implementadas são testemunho da habilidade notável do Grêmio em adaptar-se aos tempos sem perder sua essência guerreira. Viver esses momentos difíceis junto ao Tricolor só fez crescer minha paixão pelo clube. E agora olho para o futuro cheio de esperança, sabendo que independente dos desafios que venhamos a enfrentar neste novo século, nós iremos encará-los com a cabeça erguida e o coração pulsante repleto da imortalidade gremista. Inaugurada em 2012, a Arena do Grêmio tem capacidade para mais de 50 mil torcedores e estrutura para receber eventos internacionais. 

Cultura e Paixão Tricolor: o legado do Grêmio

Cresci respirando o ar puro da cultura tricolor que permeia cada pedaço do legado do Grêmio. Não é só futebol, é uma tradição que passa de geração em geração, criando laços inquebráveis de paixão pelo clube. Essa cultura está nas cores, no hino que ecoa como um mantra sagrado e na lealdade ferrenha dos torcedores.  Ser Grêmio é também uma maneira de jogar. Temos um futebol aguerrido, sanguíneo, refletido no sangue que escorreu da testa de De León e do rosto de Kannemann anos depois. Uma vontade de vencer que arrancou a grama sob as chuteiras de China e Dinho e encontrou as redes ante os pés de Jardel e Tarciso, e a coragem que esteve nas mãos de Lara e Mazarópi. Como bem disse Renato Portaluppi, ícone eterno do nosso time: "O Grêmio não é para os fracos". E ele tem razão. Ser parte dessa comunidade significa ter força e coragem; significa vibrar com cada vitória e sentir no peito a dor das derrotas. Afinal, aqui se cultiva um espírito guerreiro – esse sim é o verdadeiro significado de ser imortal. A paixão tricolor vai além das quatro linhas. Ela está presente nos olhos brilhantes dos pequenos fãs que sonham em um dia vestir nossa camisa gloriosa. Está na voz rouca depois de 90 minutos empurrando o time à frente, no abraço apertado entre desconhecidos após um gol decisivo. E ainda há as palavras sábias de Fábio Koff, outro grande nome da nossa história: "O Grêmio é mais que um clube; é uma causa." Esse sentimento se reflete em cada atitude tomada dentro e fora do campo. Nosso compromisso com causas sociais mostra a responsabilidade com a comunidade — somos mais que torcedores; somos agentes de mudança. Viver essa cultura tricolor me ensinou sobre pertencimento e orgulho infinito por esse clube centenário cujas raízes estão fincadas fundo no coração do Rio Grande do Sul. É algo tão poderoso que transcende o esporte — tornou-se parte essencial da minha identidade. Por isso celebro hoje o legado deixado pelos heróis passados e presentes deste clube lendário — sabendo que juntos continuaremos escrevendo as próximas páginas desta história rica em glórias e emoções profundas.
  • Texto produzido por Gabriel Reinehr

Grêmio hoje

O Tricolor definiu por qual caminho seguirá e vai enfrentar o Fluminense nas oitavas de final da Libertadores, com os cariocas decidindo a vaga em casa. Porém, o Imortal tem pela frente uma maratona de Brasileirão.A sequência de jogos do Grêmio pelo Campeonato Brasileiro começa neste meio de semana. O Imortal viaja para encarar o Flamengo, precisando da vitória para correr atrás do prejuízo na competição por ter jogos a menos.

Mais notícias

Sobre o clube

Nome:
Grêmio Foot-Ball Porto Alegrense
Alcunha:
Tricolor
Torcedor/Adepto:
Gremista
Mascote:
Mosqueteiro
Fundação:
15 de setembro de 1903
Estádio:
Arena do Grêmio
55.662 torcedores
Porto Alegre, Brasil
Presidente:
Romildo Bolzan Júnior
Treinador:
Renato Portaluppi
Patrocinador:
Banrisul
Material Esportivo:
Umbro
Website:
https://www.gremio.net/
18+ | Jogue com responsabilidade | Aplicam-se os Termos e Condições | Conteúdo comercial