Saiba quem são as sete maiores vendas do São Paulo na história

Confira os jogadores que mais renderam euros em negociações em toda a história da Tricolor. São as sete maiores vendas da história do São Paulo

Lucas Mello
Colaborador do Torcedores

Crédito: Hernanes é a sexta maior venda da história do São Paulo - Paulo Pinto/saopaulofc.net

Todas as maiores vendas do São Paulo vieram de jogadores revelados na base do clube. Por anos, o Tricolor foi responsável pela maior negociação do futebol brasileiro. E algumas vendas feitas recentemente podem render ainda mais dinheiro aos cofres do clube, que sempre foi conhecido por ser ótimo negociador de jogadores.

Confira abaixo as sete maiores vendas da história do São Paulo

*Apesar da moeda base para venda de jogadores hoje seja o euro, o dólar foi adotado para as vendas do São Paulo, porque uma de suas maiores vendas vieram antes do surgimento da moeda, em 1999.
*Conteúdo baseado nas informações do site TransferMarkt

7° – Antony (ponta) – Ajax-HOL (17,4 milhões de dólares/ Fevereiro de 2020) (16 milhões de euros)

A venda de Antony foi boa, mas ainda pode ser maior para os cofres do Tricolor. O jogador deixou a equipe aos 19 anos após se destacar na temporada de 2019. O clube ainda tem 20% dos direitos do jogador e direito a receber mais dinheiro em caso de metas atingidas. O valor pode chegar a 23 milhões de euros, algo perto de 27 milhões de dólares na cotação atual.

Quem chega e quem sai dos clubes?

 

6° – Hernanes (volante) – Lazio-ITA (17,8 milhões de dólares/ Agosto de 2010) (13,5 milhões de euros)

O Tricolor negociou o volante, que era um dos líderes e principais jogadores do time com o futebol italiano. Hernanes deixou o clube com a conquista de dois Brasileirões e com lugar na seleção brasileira. O clube ficou com 83% do valor, que correspondia à parte dos direitos econômicos que detinha.

5° – Brenner (atacante) – FC Cincinnati-EUA (18 milhões de dólares/ Fevereiro de 2021) (11,82 milhões de euros)

Artilheiro do São Paulo na disputa do Campeonato Brasileiro de 2020, o jogador foi negociado com o futebol dos Estados Unidos nas rodadas finais do torneio, quando o clube tinha chances remotas de título. O Tricolor ficou com uma boa porcentagem da venda.

4° – Breno (zagueiro) – Bayern de Munique-ALE (18 milhões de dólares/ Dezembro de 2007) (12,2 milhões de euros)

O zagueiro destacou-se no Campeonato Brasileiro de 2007, quando o Tricolor teve uma das melhores defesas da história do torneio. O jogador de 18 anos foi para a Alemanha logo em janeiro.

3° – David Neres (ponta) – Ajax-HOL (23,5 milhões de dólares/ Janeiro de 2017) (22 milhões de euros)

A venda da revelação são-paulina tornou-se o terceiro maior negócio do clube graças à venda em duas partes. O jogador de 19 anos foi vendido por 16 milhões de dólares por 80% dos direitos econômicos dele, após a disputa do Sul-americano sub-20. Um ano depois, o Ajax ainda pagou mais 7,5 milhões de dólares pelos 20% restantes do jogador.

Está em dúvida sobre qual curso de faculdade escolher?

2° – Denílson (ponta) – Real Betis-ESP (31,5 milhões de dólares/ Agosto de 1997)

Por anos, essa foi a maior negociação do futebol brasileiro. O valor recorde pago pelo clube espanhol foi para a jovem revelação do Tricolor. O ponta driblador já era jogador da seleção brasileira. Apesar da venda ter acontecido em agosto de 1997, Denílson ficou no Tricolor até o término da Copa do Mundo de 1998. O clube ficou com 26,5 milhões de dólares no negócio.

1° – Lucas Moura (ponta) – PSG-FRA (53,2 milhões de dólares/ Agosto de 2012) (43 milhões de euros)

O jogador era destaque do São Paulo e jogador da seleção olímpica, medalha de prata nas Olimpíadas de Londres. Foi negociado em agosto, mas apresentou-se ao futebol francês apenas em janeiro de 2013. Por isso, ainda teve tempo de conquistar a Copa Sul-Americana pelo Tricolor. Naquela ocasião, essa tornou-se a maior venda do futebol brasileiro. O clube ficou com 75% do valor da venda.