Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Bronze, classificação e pitada de sorte marcam dia do Brasil em Tóquio

Dupla brasileira tem conquista inédita nas quadras do tênis, futebol avança para semis e handebol se segura por um fio nas Olimpíadas

Wemerson Ribeiro
Formado em Jornalismo pela Universidade Anhembi Morumbi, com passagem pelo Portal R7, como estagiário, na editoria de Esportes.

Crédito: Reprodução / Instagram @luisastefani

O Brasil teve motivos para vibrar nas competições que aconteceram neste sábado (31), nas Olimpíadas de Tóquio. Laura e Luisa se destacaram contra russas e Brasil teve vitória sem sustos no futebol. Confira um resumo do dia:

Olimpíadas de Tóquio 2020: Confira o quadro de medalhas completo

Glória olímpica

A dupla brasileira Laura Pigossi e Luisa Stefani fizeram história e subiram no pódio do tênis, neste sábado. Elas venceram as russas Elena Vesnina e Veronika Kudermetova na disputa pelo 3º lugar e ficaram com o bronze. Foi a primeira medalha na história da modalidade para o Brasil.

Bruno Soares e Marcelo Melo vibraram com o feito e parabenizaram as atletas por meio de suas mídias sociais. “Sem palavras pra descrever esse momento. Que emoção”, disse Soares, cortado das Olimpíadas por uma apendicite.

Vitória e liderança

Com uma atuação convincente, a seleção feminina do vôlei bateu a até então invicta Sérvia por 3 sets a 1 e parciais de 25/20, 25/16, 23/25 e 25/19, nesta manhã. O próximo jogo será contra o Quênia, na segunda-feira (2), às 9h45 (Brasília). Se vencer, o Brasil avança na liderança de seu grupo para a fase seguinte.

Futebol nas semis

Apesar da eliminação da seleção feminina de ontem, o Brasil segue vivo na modalidade entre os homens. Matheus Cunha foi o autor da vitória diante do Egito por 1×0 nas quartas de final, mas saiu machucado e passará por avaliação para as semifinais.

O adversário de terça-feira (3) será o México numa reedição da final dos Jogos de 2012, em Londres. Na época, o time de Mano Menezes perdeu mesmo com estrelas como Neymar, Marcelo, Thiago Silva e Lucas Moura.

Mais sorte do que juízo

O handebol parece ainda não ter se encontrado nas Olimpíadas de Tóquio. Com campanha irregular, perdeu mais uma, contra a Suécia, e só segue vivo porque a França tem campanha pior. As atuais prata, inclusive, serão o oponente a ser batido na última rodada da fase de grupos, no domingo (1º). Um empate classifica a verde-amarela.

Mais medalha para o Brasil?

Depois de Abner Teixeira, agora foi a vez de Wanderson Oliveira brilhar e avançar para as quartas de final no boxe. Ele superou Dzmitry Asanau, de Belarus, pelo placar de 3×2 e enfrentará o cubano Andy Cruz nas primeiras horas da manhã de terça para tentar ir às semis.

VEJA MAIS: