Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Como o esporte pode ajudar no tratamento e na inclusão de crianças com autismo

O autismo afeta diretamente o sistema nervoso central e suas funções. Listamos três dicas de modalidades esportivas e benefícios para crianças com TEA

Vinicius Fernandes Ribeiro
Colaborador do Torcedores.com.

Crédito: Reprodução site esporte e inclusão

O autismo, como é popularmente chamado o TEA (transtorno do espectro autista), afeta diretamente o sistema nervoso central e suas funções. Não há cura para a condição. No entanto, diagnosticar precocemente e proporcionar à criança o acompanhamento com terapias comportamentais, educacionais e familiares adequadas reduz significativamente a gravidade dos sinais. Assim, o pequeno poderá se desenvolver e aprender, superando suas limitações.

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva! Siga o Torcedores também no Instagram

Um dos maiores benefícios do esporte para os autistas é: transpor as barreiras da interação social. Além de promover a evolução das habilidades físicas, cognitivas e mentais, as atividades físicas praticadas em grupo também possibilitam a inclusão. É notório o progresso da coordenação motora e da autoestima dessas crianças quando as atividades físicas fazem parte da sua rotina. Além de melhorar o desenvolvimento cognitivo, físico e emocional, as atividades para autistas também promovem a autoconfiança da criança e sua interação social.

Atividades para autistas: Como as três modalidades esportivas podem ajudar no tratamento e na inclusão?

  • Natação para autistas

É um dos esportes mais completos, seja para crianças ou adultos. Isso porque melhora a respiração, o alongamento, o condicionamento físico, o bombeamento de sangue pelo corpo, a concentração, enfim. As aulas e os exercícios precisam se adaptar às crianças com a condição autista, no entanto, os pequenos tendem a participar mais ativamente quando há contato visual e instruções mais objetivas. Barulhos podem atrapalhar e impedir a aprendizagem, por isso prefira ambientes mais silenciosos. A presença dos pais durante as primeiras aulas é fundamental para pavimentar a autoconfiança dos pequenos.

  • Futebol e basquete

Atividades físicas coletivas são perfeitas para pequenos com autismo por proporcionar uma oportunidade maravilhosa de interação social. Além de trazerem benefícios para a coordenação motora. Outra vantagem diz respeito às noções de respeito com o outro, lidar com frustrações e comemorações.

  • Circuitos funcionais

Essa é uma das atividades físicas mais interessantes do ponto de vista da criatividade. Isso porque suas variações têm o formato de ‘brincadeira’. Dinâmicas e divertidas, elas geralmente são propostas em grupo. Melhoram o condicionamento físico, a concentração, a coordenação motora e a interação social de crianças com autismo. Bolas, cordas e cones são alguns dos objetos que podem integrar uma corrida de obstáculos, por exemplo.


LEIA MAIS