Torcedores | Notícias sobre Futebol, Games e outros esportes

Dono de rádio rebate Alê Oliveira e explica demissão do comentarista: “Infernizou minha vida e é um mala”

José Antônio Constantino afirmou que a demissão de Alê Oliveira não foi motivada pela briga com Portuga, comentarista do programa ‘Estádio 97’

Danielle Barbosa
Jornalista. Escrevendo para o Torcedores desde 2014.

Crédito: Reprodução/Youtube Inteligência Ltda

A saída de Alê Oliveira da rádio Energia 97, onde ele participava do programa ‘Estádio 97’, segue rendendo polêmica nas redes sociais. Depois do comentarista dar sua versão sobre seu desligamento, o dono da rádio, José Antônio Constantino, se manifestou ao vivo sobre o assunto durante a edição desta quarta-feira (11).

Constantino admitiu que o comentarista Gilberto Rodriguez, mais conhecido como Portuga, foi ‘mimizento’ na discussão com Alê Oliveira, mas justificou que foi o ex-comentarista da TNT Sports e da ESPN Brasil que ficou ‘infernizando’ no WhatsApp.

+ Alê Oliveira é demitido de rádio, admite ‘treta’ com integrantes e lamenta: “A forma que eu fui comunicado foi muito cruel”

“Eu ouvi várias vezes a briga que aconteceu entre o Portuga e o Alê e vi que o Portuga foi muito ‘mimizento’ mesmo. O problema foi que o esporro [do Sombra] foi dado para o Portuga e o Alê Oliveira. O Portuga ficou na dele, mas o Alê Oliveira começou a infernizar a vida do Sombra enquanto ele estava no ar mandando WhatsApp o tempo inteiro. Durante três dias ele ficou infernizando a vida do Sombra, e depois começou a infernizar a minha vida. Eu falei pra ele várias vezes pra ele ‘leva na boa, o cara estava nervoso. Passa por cima. Quem nunca brigou com alguém? Entra no ar e acabou’. O que ele me passava era ‘eu estou certo e não posso levar esporro no ar’. Eu expliquei que o esporro foi pra ele e para o Portuga. O Portuga não estava certo e foi ‘mimizento’, só que o Alê o tempo inteiro ficava mandando mensagem e isso começou a encher a paciência”, contou Constantino.

“O Alê saiu de colaborador do ‘Estádio 97’ porque ele é muito chato. Ele infernizou a minha vida e a vida do Sombra. Foi única e exclusivamente por causa disso. Toda vez que ele precisava de alguma coisa, ele me infernizava também. Dessa vez, é o seguinte: não foi por causa do Portuga. Foi por causa da insistência de não querer entrar no ar numa boa e fazer as pazes. Foi só porque ele queria estar certo. Ele só terminou o ciclo aqui porque ele é um mala. Não tem mais o que falar”, completou.

LEIA MAIS:
Alê Oliveira revela único ex-companheiro “do sofá” da ESPN com quem conversa
Alê Oliveira exalta profissionalismo de André Henning, mas lamenta relação conturbada e revela: “Pedi uma arma para me matar”

Siga o Torcedores no Facebook para acompanhar as melhores notícias de futebol, games e outros esportes