Presidente do COI, Thomas Bach fala sobre adiamento dos Jogos Olímpicos Tóquio 2020: “Não temos precedentes”

Presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach declarou que organização tem missão extremamente desafiadora

Willian Ferreira
Colaborador do Torcedores.com e contador de histórias do esporte.

Crédito: Youtube/Reprodução

Após muita indefinição nas últimas semanas, os Jogos Olímpicos Tóqui 2020 foram, enfim, adiados. Nesta terça-feira (24), o primeiro-ministro japonês, Shinzo Abe, e Thomas Bach, presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), optaram pela ação em uma teleconferência. O presidente da entidade esportiva, por sinal, gravou um vídeo para todo o planeta a respeito.

Você conhece o canal do Torcedores no YouTube? Clique e se inscreva!
Siga o Torcedores também no Instagram

“A partir de agora trabalharemos duro para dar conta dessa missão extremamente desafiadora: adiar os jogos e reorganizá-los, algo nunca havia acontecido. Não temos precedentes para essa situação. Serão necessários o esforço e a contribuição de todos para que isso aconteça, por que os Jogos Olímpicos são o o evento mais complexo desse planeta”, afirma Thomas Bach no vídeo, inteiro em inglês.

Mais da pandemia de coronavírus

O COVID-19 pode obrigar a MotoGP a realizar provas duplas para compensar grandes prêmios cancelados por conta do coronavírus. A Federação Mineira de futebol não sabe o que será do estadual de 2020. O mundo dos eSports também anunciou medidas. A Itália, dos países mais atingidos pelo vírus, busca alegrias na Ferrari e em Sebastian Vettel. Já a Alemanha vê a Bundesliga ser suspensa, enquanto o Draft 2020 da NFL deve ter mudanças. A Fórmula 1 segue lutando pelo calendário do certame. O Barcelona e a MLB também anunciaram medidas de prevenção.

Lewis Hamilton, LeBron James, José Roberto Silva, Antony, Hernanes, Vasco da Gama Danny Morais, Bernard Rajzman, Marcelo Bielsa, Luis Ricardo Jones Jones, Conor McGregor, Maicon, Nahomi Kawasumi, Rafael Nadal e outros astros da NBA já se posicionaram sobre o tema.

O Pacaembu virou um hospital de campanha. Médicos foram homenageados, aliás. Charles Barkley, porém, se colocou em quarentena voluntária – e Paul Pogba incentivou um cumprimento curioso. Há, entretanto, quem vá na contramão de tudo isso e que tenha previsto a pandemia – caso da família Dybala.

LEIA MAIS
Sem salários há quatro meses, atletas do futebol feminino do Fluminense fazem carta aberta; clube responde
Pablo fala de lesão e elogia Cristiane, centroavante da Seleção e do São Paulo: “Craque mundial”
Multinacional reafirma apoio à igualdade de pagamento no futebol e pressiona dirigentes dos Estados Unidos